Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Livrologia

by Miss X

Livrologia

by Miss X

08
Out17

Dante Alighieri| As Esferas do Paraíso

Resultado de imagem para dante's paradise spheres Imagem www.slideshare.net
 
A Primeira Esfera
A esfera da Lua é a das almas que foram virtuosas mas abandonaram os seus votos, e assim foram insuficientes na virtude da coragem (Cantos II a V). Dante encontra Piccarda, irmã do amigo de Dante Forese Donati, que morreu pouco depois de serem separados pelo convento. Beatriz discute sobre a liberdade da vontade e da inviolabilidade dos votos sagrados.
 
A Segunda Esfera
A esfera de Mercúrio é a das almas que fizeram bom uso dos seus desejos de fama, mas que, sendo ambiciosas, foram insuficientes em virtude da justiça (Cantos V a VII). Justiniano reconta a história do Império Romano. Beatriz explica a Dante a reparação de Cristo pelos pecados da humanidade.
 
A Terceira Esfera
A esfera de Vênus é a das almas que fizeram bons usos do amor, mas foram insuficientes na virtude da temperança (Cantos VIII e IX). Dante encontra Carlos Martel de Anjou, que condena aqueles que adoptam vocações inadequadas. Folquet de Marselha aponta para Raabe, a alma entre as mais brilhantes desta esfera, e condena a cidade de Florença por produzir a "flor maldita"(o florim), que é responsável pela corrupção da Igreja.
 
A Quarta Esfera
A esfera do Sol é a das almas dos sábios, que personificam a prudência (Cantos X a XIV). Dante é guiado por São Tomás de Aquino, um dominicano, que narra a vida de São Francisco de Assis e lamenta a degradação da sua própria Ordem dos Pregadores. Dante passa então a ser atendido por São Boaventura, um franciscano, que narra a vida de São Domingos e lamenta a corrupção da Ordem Franciscana. As duas ordens não foram sempre amigáveis na terra e ao retratar um membro de uma ordem, elogiando o fundador da outra, e lamentando o destino de sua própria, mostra aos outros o amor presente no céu. Alberto Magno, Pedro Lombardo e Siger de Brabante estão entre os incluídos.
 
A Quinta Esfera
A esfera de Marte é formada pelas almas que lutaram pelo cristianismo e que encarnam a coragem (Cantos XIV a XVIII). As almas desta esfera formam uma enorme cruz. Dante fala com a alma do seu antepassado, Cacciaguida, que elogia as virtudes do ex-moradores de Florença, narra a ascensão e queda de famílias florentinas e anuncia o exílio de Dante de Florença, antes de finalmente introduzir algumas almas guerreiras notáveis (entre eles Josué, Rolando, Carlos Magno e Godofredo de Bulhão).
 
A Sexta Esfera
A esfera de Júpiter é a das almas que personificaram a justiça, algo de grande interesse para Dante (Cantos XIX a XX). As almas aqui anunciam em latim: "Amem a justiça, vós que julgais a terra", e depois arranjam-se na forma de uma águia imperial. Aqui presentes estão David, Ezequias, Trajano (que se teria convertido ao cristianismo de acordo com uma lenda medieval), Constantino, Guilherme II da Sicília, e - Dante é surpreendido com isso - Rifeu de Tróia, um pagão salvo pela misericórdia de Deus.
 
A Sétima Esfera
A esfera de Saturno é a dos contemplativos, que personificam a temperança (Cantos XXI e XXII). Dante encontra aqui Pedro Damião e discute com ele o monaquismo, a doutrina da predestinação e o triste estado da Igreja. Beatriz, que representa a teologia, torna-se cada vez mais adorável aqui, indicando a revelação mais próxima dos contemplativos sobre a verdade de Deus.
 
A Oitava Esfera
A esfera das estrelas fixas é da Igreja triunfante (Cantos XXII a XXVII). Aqui, Dante tem visões de Cristo e da Virgem Maria. Ele é testado na sua fé por São Pedro, na sua esperança por São Tiago e no amor por São João Evangelista.
 
A Nona Esfera
O Primum Mobile ("Primeira esfera a ser movida"), a última esfera do universo físico. Ela é movida directamente por Deus e o seu movimento provoca o movimento de todas as demais esferas que ela encompassa (Canto XXVII).
 
O Empíreo
A partir do Primum Mobile, Dante ascende a uma região, além da existência física, o chamado Empíreo (Cantos XXX através XXXIII). Aqui as almas de todos os crentes formam as pétalas de uma enorme rosa. Aqui, Beatriz deixa Dante com São Bernardo, porque a teologia terá atingido os seus limites. São Bernardo reza a Maria em nome de Dante. Finalmente, Dante fica de frente com o próprio Deus e é-lhe concedida a compreensão das naturezas Divina e Humana. A sua visão está além da compreensão humana. Deus aparece como três círculos que representam o Pai, o Filho e o Espírito Santo com a essência de cada parte de Deus, mas cada um separado. O livro termina com Dante tentando compreender como os círculos se encaixam, como o Filho é separado, mas ainda uno com o Pai, mas, como o próprio Dante coloca, este "não é um vôo para as minhas asas".

in pt.wikipedia.org