Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

by Miss X

Livrologia

by Miss X

17
Jun19

Entendi

pint.jpg

@ www.pinterest.pt

 

Todas as visita√ß√Ķes que tive na vida, elas vieram, sentaram-se e nada disseram. Entendi.

in Aviso silente

A Descoberta do Mundo (Crónicas) - Clarice Lispector

15
Jun19

Tantas √°rvores mortas em v√£o

Entro na mesma Bertrand de sempre.

Uma vez mais não têm o autor que procuro.

Demoro-me em desabafos com o assistente de que os bons autores já não se encontram à venda. Ele responde que as editoras não investem em livros que os leitores não procuram ler.

Depois levanto o olhar para a estante dos mais vendidos e deparo-me com os livros que os leitores procuram ler: Está Tudo F*dido, A Arte Subtil de Saber Dizer Que Se F*da, coroada com a cereja no topo, O Senhor, mais um contributo para o mundo livresco da senhora das 50 Sombras de Grey.

Elogio a beleza da estante:

-Tem aqui um bonito escaparate de papel para forrar gavetas. 

15
Jun19

Clarice com flores

logo11.pngAgora vou falar da dolencia das flores para sentir mais a ordem do que existe.

-Clarice Lispector

 

A páginas tantas percebo que as flores fizeram desabrochar eventos místicos nos acasos de Clarice. Especialmente as rosas às quais irei brevemente dedicar um conversatório. Por agora escrevo sobre aquela Clarice com flores,  abraços delas, não as contendo, mas deixando-as cair atrás de si enquanto caminha.

Numa das suas crónicas escreve sobre elas.

N√£o lhes imprime uma qualquer defini√ß√£o vegetal, ali√°s nega-a. Humaniza-as das p√©talas ao caule, com emo√ß√Ķes, sentidos, personalidade.

Do cravo ao girassol, da violeta √† margarida, passamos por elas como transeuntes que se olham olhos nos olhos, nesta rua de pequenas impress√Ķes curiosas.

Partilho um pequeno excerto florido deste jardim secreto de Clarice:


Já o cravo tem uma agressividade que vem de certa iritação. São ásperas e arrebitadas as pontas de suas pétalas. O perfume do cravo é de algum modo mortal. Os cravos vermelhos berram em violenta beleza. Os brancos lembram o caixão de criança defunta: o cheiro então se torna pungente e a gente desvia a cabeça para o lado com horror. Como transplantar o cravo para a tela?


O girassol é o grande filho do sol. Tanto que sabe virar sua enorme corola para o lado de quem o criou. Não importa se é pai ou mãe. Não sei. Será o girassol flor feminina ou masculina? Acho que é masculina.


A violeta é introvertida e sua introspecção é profunda. Dizem que se esconde por modéstia. Não é. Esconde-se para poder captar o próprio segredo. Seu quase-não-perfume é glória abafada mas exige da gente que o busque. Não grita nunca seu perfume. Violeta diz levezas que não se podem dizer. A sempre-viva é sempre morta. Sua secura tende à eternidade. O nome em grego quer dizer: sol de ouro.


A margarida √© florzinha alegre. √Č simples e √† tona da pele. S√≥ tem uma camada de p√©talas. O centro √© uma brincadeira infantil.

A formosa orqu√≠dea √© exquise e antip√°tica. N√£o √© expont√Ęnea. Requer redoma. Mas √© mulher esplendorosa e isto n√£o se pode negar. Tamb√©m n√£o se pode negar que √© nobre porque √© ep√≠fita. Ep√≠fitas nascem sobre outras plantas sem contudo tirar delas a nutri√ß√£o. Estava mentindo quando disse que era antip√°tica. Adoro orqu√≠deas. J√° nascem artificiais, j√° nascem arte.


Tulipa s√≥ √© tulipa na Holanda. Uma √ļnica tulipa simplesmente n√£o √©. Precisa de campo aberto para ser.


Flor dos trigais s√≥ d√° no meio do trigo. Na sua humildade tem a ousadia de aparecer em diversas formas e cores. A flor do trigal √© b√≠blica. Nos pres√©pios da Espanha n√£o se separa os ramos de trigo. √Č um pequeno cora√ß√£o batendo. Mas ang√©lica √© perigosa.Tem perfume de capela. Traz √™xtase. Lembra a h√≥stia. Muitos tem vontade de come-la e encher a boca com o intenso cheiro sagrado.


O jasmim é dos namorados. Dá vontade de por reticências agora. Eles andam de mãos dadas, balançando os braços, e se dão beijos suaves ao quase som odorante do jardim.


Estrelícia é masculina por excelência. Tem uma agressividade de amor e de sadio orgulho. Parece ter crista de galo e o seu canto. Só que não espera pela aurora. A violencia de tua beleza.