Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

04
Jun16

Fiódor Dostoiévski| Humilhados e Ofendidos

Humilhados e Ofendidos tem uma leveza telenovelesca, de puro entretenimento, com voltas e reviravoltas e muito amor. Tanto, que dele não escapamos, mesmo que queiramos fugir dele num voltear de página. Porém, tudo é vivido num limbo entre aparência e realidade.

Escrita e publicada em simult√Ęneo que Recorda√ß√Ķes da Casa dos Mortos,¬†ter√° sido escrito no regresso do cativeiro de dez anos na Sib√©ria, onde leu¬†David Copperfield e A Loja de Antiguidades de Dickens.

Aliás, vivemos esta leitura num ambiente muito dickensiano, o que revela a grande admiração que Dostoiévski tinha por Dickens. Especula-se que Dostoiévski tenha viajado para Londres em 1862 e que durante a sua estadia o terá conhecido.

04
Jun16

Rudyard Kipling| If

If you can keep your head when all about you

Are losing theirs and blaming it on you;
If you can trust yourself when all men doubt you,
But make allowance for their doubting too;
If you can wait and not be tired by waiting,
Or, being lied about, don't deal in lies,
Or, being hated, don't give way to hating,
And yet don't look too good, nor talk too wise;

 

If you can dream - and not make dreams your master;
If you can think - and not make thoughts your aim;
If you can meet with triumph and disaster
And treat those two imposters just the same;
If you can bear to hear the truth you've spoken
Twisted by knaves to make a trap for fools,
Or watch the things you gave your life to broken,
And stoop and build 'em up with wornout tools;

 

If you can make one heap of all your winnings
And risk it on one turn of pitch-and-toss,
And lose, and start again at your beginnings
And never breath a word about your loss;
If you can force your heart and nerve and sinew
To serve your turn long after they are gone,
And so hold on when there is nothing in you
Except the Will which says to them: "Hold on";

 

If you can talk with crowds and keep your virtue,
Or walk with kings - nor lose the common touch;
If neither foes nor loving friends can hurt you;
If all men count with you, but none too much;
If you can fill the unforgiving minute
With sixty seconds' worth of distance run -
Yours is the Earth and everything that's in it,
And - which is more - you'll be a Man my son!

Rudyard Kipling 1865 - 1936

04
Jun16

Rudyard Kipling| Do poeta contador de histórias, as raízes

Kipling nasceu em Bombaim, na √ćndia, em¬†1865.

O seu pai, John Lockwood Kipling, foi director da Escola de Arte Jeejeebyhoy.¬†Arquitecto e artista foi para Bombaim para incentivar, apoiar e restaurar a arte nativa indiana contra¬†as incurs√Ķes dos interesses comerciais brit√Ęnicos. Arte essa que,¬†representando uma tradi√ß√£o rica e milenar, estava a ser subitamente amea√ßada de extin√ß√£o.

A sua m√£e,¬†Alice Macdonald, mantinha liga√ß√Ķes com membros importantes do movimento Pr√©-Rafaelita da arte e literatura brit√Ęnicas.

Tradução livre do inglês de www.poetryfoundation.org

rudyardkiplingchild.jpgImagem www.best-books-for-kids.com 

04
Jun16

√Č pura ilus√£o pensarmos que eles nos pertencem

N√£o sei se convosco acontece o mesmo, mas eu tenho por h√°bito levar para f√©rias alguns livros que j√° n√£o voltam na bagagem. S√£o livros mais velhos que tenciono ler apenas uma vez, acabando por deix√°-los¬†ficar nos hot√©is por onde passo - leituras moment√Ęneas, semelhantes a diversas pessoas com quem nos vamos cruzando vida fora. Chegam e partem.

√Č tamb√©m uma forma de partilhar leituras: acho estimulante a ideia de imaginar que aquela janela que para mim ficou fechada tavez possa abrir-se inesperadamente para algu√©m que nunca conhecerei.

E uma vez mais me interrogo: porque teremos tanta dificuldade em desapegar-nos de livros que foram nossa ef√©mera companhia de f√©rias em vez de lhes proporcionarmos novos leitores? Isto sempre me fez alguma confus√£o. Porque, em boa verdade, n√£o somos donos deles. Na melhor das hip√≥teses, somos n√≥s a pertencer aos livros. √Č pura ilus√£o pensarmos que eles nos pertencem.

Pedro Correia em delitodeopiniao.blogs.sapo.pt

bookgram(pinterest).jpgImagem www.pinterest.com 

Quanto mais leio menos sei
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos P√°ssaros est√° aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
Notícias literárias ou assim-assim em Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Estante

no fundo da estante