Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

02
Jul16

Aleksandr Pushkin| A impress√£o humana na sua escrita

O ¬ęcl√°ssico¬Ľ, o ¬ęobrigat√≥rio¬Ľ Pushkin pode decepcionar os amantes de cl√°ssicos sumptuosos e dif√≠ceis. Sem ser uma ¬ęleitura f√°cil¬Ľ, l√™-se facilmente.

√Č bom falar com ele, √†s vezes mais do que com algu√©m de carne e osso. Pushkin estabelece um √≥ptimo contacto com o leitor.

Compreens√≠vel, transparente e fascinante, √© mais acess√≠vel para o leitor do que muitos dos escritores naturalistas nossos contempor√Ęneos.

√Č aberto, n√£o se esconde por tr√°s de conceitos herm√©ticos nem frases sofisticadas.

Como interlocutor, √© muito bem formado: n√£o aborrece com serm√Ķes, n√£o humilha com altivez, n√£o faz o leitor sentir-se um pobre de esp√≠rito perante uma agressiva erudi√ß√£o de grande homem.

Conta hist√≥rias, palra, brinca, trata-nos com respeito e simpatia. Cumprimenta, pergunta pela sa√ļde da fam√≠lia.

Acusá-lo de elitista é injusto.

Introdução de Nina e Filipe Gerra, n'O Cavaleiro de Bronze e Outros Poemas de Aleksandr Pushkin

02
Jul16

Aleksandr Pushkin| Num minuto 00:05

Movimento é também liberdade.

Foi o poeta Aleksandr Blok quem, num memor√°vel discurso pronunciado aos p√©s da est√°tua do poeta em 1921, saudou em Pushkin um ¬ęmestre da liberdade¬Ľ, para al√©m dos seus paradoxos de homem social e das suas contradi√ß√Ķes pol√≠ticas.

Introdução de Nina e Filipe Gerra, n'O Cavaleiro de Bronze e Outros Poemas de Aleksandr Pushkin

02
Jul16

Aleksandr Pushkin| Reputação do Sr. Béranger

Estareis lembrado, vossa senhoria,

√ď mossi√ļ franci√ļ, capit√£o merdento,

Como o nosso povo bem se alembraria,

Das sovas dos russos sobre a vossa gente?

Nem nos foi difícil: é que somos ossos

Duros de roer, e zurzimo-vos bem,

Foi assim outrora, diante dos nossos,

Então não te lembras, ó cona da mãe?

Excerto do poema Reputação do Sr. Béranger de Aleksandr Pushkin

O Cavaleiro de Bronze e Outros Poemas de Aleksandr Pushkin

Escrito em resposta a uma canção bonapartista.

As tropas napole√≥nicas foram derrotadas em toda a linha quando invadiram a R√ļssia, a ponto dos ex√©rcitos russos terem chegado at√© Paris.

02
Jul16

Aleksandr Pushkin| A liberdade liter√°ria com amarras

Liberto do regime rigoroso do liceu, o poeta compensa os anos de reclusão escandalizando toda a gente com as suas aventuras amorosas e provocando a irritação das autoridades com as suas poesias satíricas e epigramas atrevidos, em que não poupa até o czar Alexandre I. (...)

O czar decide castigar o ousado poeta.

Por obra de amigos influentes Pushkin não é preso nem exilado, apenas transferido do seu modesto serviço no Ministério dos Negócios Estrangeiros para o Sul do país.

[Em 1824 foi exilado] para a província de Pskov, aldeia de Mikháilovskoe, sem o direito de abandonar o local. Pushkin sofreu aqui um verdadeiro isolamento, durante dois anos, até à morte de Alexandre I.

O novo czar, Nicolau I, manda-o logo regressar a Petersburgo e a vida do poeta muda radicalmente.

Nicolau recebe Pushkin. (...)
[E diz-lhe:] ¬ęDoravante serei eu o teu √ļnico censor.¬Ľ
O que cumpriu, literalmente.
O poeta ficou livre, mas n√£o tanto.
Podia deslocar-se livremente, mas tinha de informar as autoridades. Continuava vigiado, quer nas suas desloca√ß√Ķes, quer na aprecia√ß√£o da lealdade pol√≠tica dos seus escritos.
Um polaco russificado, Bulgárin, também escritor, era um dos seus mais vigilantes e violentos inimigos, cumprindo também a tarefa oficiosa de examinar previamente os escritos de Pushkin.
Esta tutela policial e ideológica explica a persistência com que o escritor lutou pela independência económica dos seus pares, pela protecção dos direitos de autor, pela edição de uma revista literária dirigida por ele.
Introdução de Nina e Filipe Gerra, n'O Cavaleiro de Bronze e Outros Poemas de Aleksandr Pushkin

P√°g. 17/17

2019 foi o ano que escolhi para ler Sophia de Mello Breyner
Visitem o mundo encantado de Sophia
Em 2021 irei ler Jorge de Sena
Preparem-se para dar a volta ao vosso mundo
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos P√°ssaros est√° aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
A imprensa comentada no final de cada mês na Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O que leio, capa a capa

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Estante

no fundo da estante