Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

04
Ago18

Aleksandr Blok| Ramsés

Da poesia de Blok para uma das suas pe√ßas de teatro, n√£o deixa de ser estranha a sensa√ß√£o de um poeta sair de si pr√≥prio e escrever dramaturgia. As suas palavras nas bocas de outros, exibidas em palco, olhos nos olhos com o seu p√ļblico.

Ramsés, retrata cenas da vida do Antigo Egipto. Uma alegoria política e social tão visual que conseguimos ouvir o burburinho dos bazares, as cores das especiarias e dos tecidos, o ocre do tempo.

04
Ago18

Aleksandr Blok| O Teatro

Alexander Blok.Imagem www.pinterest.pt

 

Blok não foi apenas um dos maiores poetas, mas também um dos maiores dramaturgos, representante do simbolismo russo. Apesar de escrever poesia desde os 5 anos, tornando-se a expressão poética a norma da sua vida, Blok sempre sonhou um dia conquistar o palco.

 

Os anos de 1906-1907 foram um ponto de viragem para Blok, por se tratar de anos de reavalia√ß√£o de valores e dissipa√ß√£o de ilus√Ķes. O poeta vira-se para a dramaturgia, pois, h√° muito tempo, que era afei√ßoado ao teatro. Quando Blok sentiu o desejo e a necessidade de dizer novas palavras na sua obra, o g√©nero teatral tornou-se numa forma natural. Em 1906, Blok escreveu tr√™s dramas l√≠ricos:¬†A Desconhecida¬†(que desenvolvia o tema do poema hom√≥nimo),¬†O¬†Rei na Pra√ßa¬†(a nega√ß√£o moderna dos c√Ęnones do passado)¬†e¬†O Teatro de Feira¬†(uma rejei√ß√£o das velhas cren√ßas e viragem para a realidade).

in www.uc.pt

04
Ago18

Aleksandr Blok| Um poeta do colorido e de sons plenos

Ilya Glazunov. Alexander Blok and Unknown Woman. 2009

Imagem www.pinterest.pt

 

Valeri Bri√ļssov, um dos fundadores do simbolismo russo, escreveu o seguinte a respeito da colect√Ęnea O Gozo Imprevisto:

 

Blok é um poeta do dia, e não da noite; um poeta do colorido, e não de matizes; de sons plenos, e não de gritos ou silêncios.

Expressa n√£o apenas a f√© do poeta na renova√ß√£o da vida, mas tamb√©m na possibilidade de se encontrar a si pr√≥prio e o seu universo po√©tico √ļnico.

in www.uc.pt

04
Ago18

Aleksandr Blok| A revelação feminina

Imagem relacionada

Imagem historytime.ru

 

A primeira colecção de poemas de Blok - Versos a uma senhora encantadora - saiu em 1904 e foi escrita sob a influência do primeiro amor e dos primeiros meses de uma vida familiar feliz (casou em 1903 com Liubov Mendeleieva, filha do grande químico russo Dmitri Mendeleiev).

Os poemas desta colect√Ęnea representam o seu idealismo plat√≥nico e a implanta√ß√£o da sabedoria divina na alma do mundo, atrav√©s da revela√ß√£o feminina.

in O Fantasma no Pal√°cio dos Engenheiros e outro Contos Russos

Antologia coordenada por Leonor Abecassis, Isabel Oliveira Martins e Larissa Shotropa

04
Ago18

Babel Book Award , o prémio literário fictício

bba.pngImagem babelbookaward.com

 

O Babel Book Award (BBA), pr√©mio liter√°rio fict√≠cio de 200 mil euros que fez brilhar os olhos de muitos escritores e editores lus√≥fonos, antes de os p√īr a espumar de raiva, era afinal¬† uma performance para criticar a CPLP e a ind√ļstria do¬†livro.

 

O galardão começou a ser falado em fevereiro e estaria já na terceira edição, sendo organizado pela Fundação Weltsprachen (que se percebeu não existir) com curadoria de Andreas A. Fiedler (nome de um jornalista russo, que não sabia de nada). Prometia uns inacreditáveis 200 mil euros ao melhor romance inédito de língua portuguesa, com o vencedor a ser anunciado em julho. O regulamento estava publicado no endereço babelbookaward.com.

 

Quem fez soar os alarmes para a inverosimilhan√ßa foi Paulo Werneck, editor da revista liter√°ria ‚ÄúQuatro Cinco Um‚ÄĚ, de S√£o Paulo.¬†Nessa altura, j√° v√°rios autores tinham enviado originais atrav√©s de correio eletr√≥nico, incluindo portugueses.

 

Ant√≥nio Salvador sustentou que¬†o BBA, lan√ßado em fevereiro, nunca pretendeu ser um pr√©mio liter√°rio cl√°ssico, antes uma performance art√≠stica, um esc√°rnio √†s regras que governam a ind√ļstria da literatura, uma cr√≠tica insolente √† Comunidade dos Pa√≠ses de L√≠ngua Portuguesa (CPLP).

in Observador

Quanto mais leio menos sei
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos P√°ssaros est√° aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
Notícias literárias ou assim-assim em Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Estante

no fundo da estante