Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

01
Dez19

Se uma história não tem alma, de que vale escrevê-la?

maugham4.jpgApesar do meu silêncio nestes últimos meses sobre Maugham, tenho continuado a ler Servidão Humana nos bastidores do Livrologia.

Cento e quarenta páginas volvidas e começo a ver a centelha da excepcionalidade de Maugham. Ainda pálida, mas acredito que se tornará mais brilhante nas páginas seguintes.

Como pessoa, Maugham ergueu muros em seu redor durante a vida inteira e acredito que isso o prejudicou como escritor. Foi um excelente observador dos outros e do que se passava em seu redor, mas péssimo observador de si mesmo e do que se passava no seu interior.

Poderia ter sido um escritor excepcional se tivesse deixado a vulnerabilidade das suas experiências de vida fluir como o fez em Servidão Humana. Porque não basta ser-se um escritor metódico, respeitar a estrutura de uma história, considerar o ritmo da narrativa e escolher as personagens certas.

Servidão Humana é o livro de Maugham, único, irrepetível, distinguindo-se dos seus restantes livros pela alma enorme dentro dele. Porque se uma história não tem alma, uma reflexão sobre o mundo, profundidade de pensamento, de que vale escrevê-la?

01
Dez19

Agradeceu inconscientemente a Deus por já não acreditar n' Ele

A Philip, inebriado com a beleza do cenário, parecia-lhe que o mundo inteiro se estendia à sua frente e estava ansioso por descer do monte e desfrutá-lo plenamente.

Estava liberto de medos degradantes e liberto de preconceitos. Podia seguir o seu caminho sem o pavor intolerável do fogo do Inferno. Subitamente apercebeu-se de que também tinha perdido aquele fardo de responsabilidade que tornava cada acção da sua vida um assunto da maior importância.

Podia respirar mais livremente num ar mais leve. Era responsável apenas perante si próprio pelas coisas que fazia. Liberdade! Finalmente era dono de si mesmo. Por força de hábito, agradeceu inconscientemente a Deus por já não acreditar n' Ele.

 

Servidão Humana-W. Somerset Maugham

Pág. 11/11

Quanto mais leio, menos sei

O autor português de 2021 é Jorge de Sena
Preparem-se para dar a volta ao vosso mundo
A autora portuguesa em destaque de 2019/2020 foi Sophia de Mello Breyner Andresen
Visitem o seu mundo encantado
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos Pássaros está aqui!
Tudo o que escrevi para Os Desafios da Abelha está aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
A imprensa comentada no final de cada mês na Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog não adopta o novo Acordo Ortográfico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O que leio, capa a capa

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

Estante

no fundo da estante