Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

31
Jan20

Desafio de escrita dos p√°ssaros #2.1

Deus e o Homem n√£o se entendiam

Dos dois o mais divino seria quem?

Entre eles sete desafios decidiram

Será que a coisa iria correr bem?

 

Haja luz e a luz assim surgia,

Da escurid√£o Deus fez noite e da luz fez dia.

O Homem com luz a noite matou

E com uma l√Ęmpada o dia eterno criou.

 

Deus decide criar o céu por cima da terra

E o ciclo da √°gua que ela encerra.

O Homem, torneiras, barragens, metereologia,

Até água engarrafada a trinta cêntimos havia.

 

Deus arreliado cria a terra seca e os mares,

Continentes, ilhas, vegetação, ananazes.

O Homem, √≥culos de sol, cal√ß√Ķes, praias,

Bolas de Berlim, biquinis e mini-saias.

 

Deus irritado inventa os corpos celestes.

No céu estrelas, a lua, o sol nos oestes.

O Homem constrói satélites e um foguetão

E na lua um astronauta cai num tropeção.

 

Deus cria os animais das águas e do céu.

Cardumes de peixes, aves em escarcéu.

Barcos, pranchas, surfistas a comer croissants.

Um avi√£o? Oh n√£o! O super-homem em collants.

 

Deus à beira do colapso perde a Razão

E do homem cria a mulher num arroubo de paix√£o.

O Homem embevecido, perdido num sorriso.

E com uma maçã apenas, se perde o Paraíso.

 

Deus finalmente descansa ao sétimo dia

E ri-se à gargalhada com a sua ironia:

"Shhhhh! Não contem a ninguém,

Mas acho que a coisa n√£o vai correr bem"

29
Jan20

Sophia de Mello Breyner Andresen | Esta peça em três estranhos e diferentes actos

O_Colar-6f_AP.jpg

Cena da peça de teatro O Colar @ Teatro da Cornucópia

Quando, em homenagem à Sophia, preparávamos o espectáculo Austeros Sinais, um dia, disse-nos ela que estava a escrever uma peça de teatro: O Colar. E deu-nos a ler o primeiro acto.

Perguntava se gostávamos. Pedimos-lhe que acabasse porque a queríamos representar. Foi aí que surgiu a ideia deste espectáculo.

Daí para a frente todos os anos programámos O Colar. Esperámos o tempo que a Sophia quis para acabar a peça.

Houve v√°rias vers√Ķes do segundo acto. Finalmente chegou esta pe√ßa em tr√™s estranhos e diferentes actos. Que com grande alegria lev√°mos √† cena.

E com o temor de quem lhe parece ter entre m√£os uma coisa muito fr√°gil e muito preciosa.

Muito desejada e muito amada.

in Pref√°cio de Luis Miguel Cintra

28
Jan20

Sophia de Mello Breyner Andresen | Vila D' Arcos

Neste √ļltimo conto das Hist√≥rias da Terra e do Mar h√° uma¬†pequena povoa√ß√£o do nordeste transmontano, onde o tempo parece ter parado, onde tudo permanece imut√°vel, onde o tempo se perdeu.

Vila D' Arcos está mergulhada nesta irrealidade perfeita de isolamento silencioso, o Paraíso de uma terra pequena, cujos limites serão sempre as grades da sua pequenez agrilhoada.

28
Jan20

Sophia e o teatro

Untitled.png

Sophia escreveu apenas cinco peças de teatro, mas poderia ter escrito muitas mais.

Quer os seus poemas, quer os seus contos têm uma forte componente visual e de movimento que nos levam a participar cinematograficamente nos seus imaginários. Arriscaria dizer que a escrita de Sophia é um animatógrafo de palavras, de olhares, de sentidos.

Bastasse o seu querer e poderia ter escrito mais teatro, ainda assim a¬†sua liga√ß√£o ao teatro foi muito mais abrangente n√£o s√≥ com¬†textos e interven√ß√Ķes criativas e/ou cr√≠ticas teatrais, mas tamb√©m com a sua¬†Recria√ß√£o Po√©tica da Trag√©dia de¬†Eur√≠pides¬†revelando uma vez mais o seu amor pela Gr√©cia.

27
Jan20

Estou em pleno sofrimento com o Desafio dos P√°ssaros

Resultado de imagem para funny bird gif"

@ giphy.com

Estou aflita, sem ar, com palpita√ß√Ķes.

Procuro inspiração nos locais mais inóspitos. Agarro-me ao meu cacto, olho para ele, à espera que a inspiração salte dali qual cowboy do faroeste.

Nada.

J√° fui ler o Correio da Manh√£.

Nada.

Já fui ler as perguntas divertidas do juiz Carlos Alexandre a António Costa sobre Tancos.

Nada.

Não sei o que raio vou escrever... 

P√°g. 1/8

2019 foi o ano que escolhi para ler Sophia de Mello Breyner
Visitem o mundo encantado de Sophia
Em 2021 irei ler Jorge de Sena
Preparem-se para dar a volta ao vosso mundo
A Miss X aceitou o Desafio de Escrita dos Pássaros pela 2.ª vez!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
A imprensa comentada no final de cada mês na Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O que leio, capa a capa

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Estante

no fundo da estante