Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

31
Out20

Tanto Frankenstein à solta, tanto esqueleto fora do armário

bookinices.pngAi, Outubro, Outubro, nem sei que te diga.

Tanto Frankenstein à solta, tanto esqueleto fora do armário, tanta teia de aranha que nem sei para qual deles olhar primeiro.

 

As filas de tr√Ęnsito

O doutor Costa est√° na vanguarda da ci√™ncia e da investiga√ß√£o e do alto da sua sabedoria cient√≠fica combate o coronav√≠rus com filas de tr√Ęnsito. Tr√™s horas de filas de tr√Ęnsito para regressar a casa do trabalho prova ser o m√©todo mais eficaz para combater um v√≠rus. Este m√©todo foi alvo de um profundo estudo cient√≠fico com base na teoria das aberra√ß√Ķes: quanto mais aberrante o m√©todo, mais a s√©rio parece.

 

E por falar em aberra√ß√Ķes

A Festa do Avante é quando o Pai Jerónimo quiser, mas já andam a enfiar o barrete ao Pai Natal que pode ir à Fórmula 1 e juntar-se a milhares de pessoas, que a DGS deixa. Agora isso de comemorar o Natal com uma família é absolutamente chocante. Nem sei como é que nos passou pela cabeça a hipótese de celebrar o Natal!

31
Out20

As fechaduras eram tão caras que nem uma varinha de condão as podia abrir

O Homem Muito Rico não tinha nem mulher, nem filhos, nem amigos. Só tinha criados.

A casa dele ficava no meio de um jardim muito bem tratado, com relva, arbustos, flores e ruas de areia. Oriana deu a volta à casa para ver por onde é que havia de entrar. As portas estavam todas fechadas à chave e Oriana não as podia abrir. Porque em casa do Homem Muito Rico as fechaduras eram tão caras que nem uma varinha de condão as podia abrir. Mas havia uma janela aberta. Era a janela da sala.

Oriana espreitou e viu que na sala não estava pessoa nenhuma. Só lá estavam as coisas. Mas reinava uma atmosfera de grande má disposição. Os sofás e as cadeiras davam cotoveladas uns nos outros, as cómodas davam coices nas paredes, as jarras diziam às caixas e aos cinzeiros que não as apertassem, e as flores diziam:

- N√£o posso mais, n√£o posso mais, falta-me o ar!

A Fada Oriana - Sophia de Mello Breyner Andresen

30
Out20

A vida na casa Andresen

sophia002.jpg

A Quinta do Campo Alegre em 1937

@ Sophia de Mello Breyner Andresen de Isabel Nery


Mais uma vez, o conto ¬ęSaga¬Ľ retrata com realismo a hist√≥ria da fam√≠lia Andresen, relatando uma¬†casa que em tudo corresponde √† do Campo Alegre.

Impedido de estabelecer comunica√ß√£o com o¬†pai, em Vig, a personagem Hans compreendeu que nunca regressaria √† terra natal. Por isso,¬†passados alguns meses comprou uma propriedade, que, do alto de uma pequena colina, descia at√©¬†ao cais. ¬ęEntrava-se na quinta, pelo lado dos campos, por um port√£o de ferro que, depois de o¬†passarmos, ao fechar -se batia pesadamente. Em frente, surgia a casa, enorme, desmedida, com¬†altas janelas, largas portas e a ampla escadaria de granito, abrindo em leque. Na parte de tr√°s,¬†corria uma longa varanda debru√ßada sobre os roseirais do poente.¬Ľ

√Č f√°cil imaginar que uma¬†crian√ßa se perca aqui em hist√≥rias e contos m√°gicos. Mais a mais pensando que na altura, no in√≠cio¬†do s√©culo xx, n√£o se ouviria o zunzum de fundo vindo dos carros a passar na auto estrada. Cada¬†canto do jardim e da casa podiam ser o in√≠cio de uma hist√≥ria. Assim houvesse imagina√ß√£o. E em¬†Sophia havia.

(...)

A vida no Campo Alegre, uma esp√©cie de col√≥nia, nas palavras de Ruben A.," com a exuber√Ęncia dos¬†seus jardins e os lagos que gelavam no inverno, era um o√°sis no Porto, que permitia √†s crian√ßas da¬†fam√≠lia uma sensa√ß√£o de liberdade absoluta, sem limites, protegidas dentro de muros. A quinta¬†aliava natureza e liberdade," duas traves-mestras da obra- e vida de Sophia.

(...)
A vida social era intensa na Casa Andresen, sendo frequente a presen√ßa de escritores, pintores e¬†m√ļsicos, al√©m dos homens de neg√≥cios. Mas a maior festa do Campo Alegre era o Natal,¬†permanecendo toda a vida a √©poca favorita de Sophia.
(...)
O ambiente da quadra natal√≠cia na Casa Andresen, entre as tradi√ß√Ķes n√≥rdicas e os s√≠mbolos¬†cat√≥licos, haveria de refletir-se em hist√≥rias infantis como A Noite de Natal e O Cavaleiro da¬†Dinamarca, agregando no imagin√°rio o passado e o presente da fam√≠lia.

in Sophia de Mello Breyner Andresen de Isabel Nery

30
Out20

O poeta queria uma uni√£o mais completa com a natureza

Yevgeny Baratynsky.jpeg

Considerado o poeta do pensamento, Baratynsky filosofava a cada verso que escrevia.

O poeta queria uma união mais completa com a natureza e previu que a humanidade caminhava cada vez mais para longe dela e que a discórdia entre o filho da natureza - o poeta - e o rebanho humano seria cada vez maior.

O futuro da humanidade industrializada e mecanizada será brilhante e glorioso no futuro próximo, mas a felicidade e a paz universais serão compradas à custa da perda de todos os valores mais altos da poesia.

in O √öltimo Poeta

29
Out20

The sting of disappointment on your face!

Are you rich like the farmer who sowed

in hope? Like him, the seed you scattered

and you too cherished golden dreams that showed

you rich rewards far in the future...

Now you behold that day; greet it with pride

and count your painful acquisitions!

Alas, your passions, your dreams, your arduous road

are buried in scorn, and your condition

is the soul's irresistible disgrace,

the sting of disappointment on your face!

Excerto do poema Autumn

Yevgeny Baratynsky

in Chapter II - Around Pushkin

The Penguin Book of Russian Poetry - edited by Robert Chandler,

Boris Dralyuk and Irina Mashinski

29
Out20

M√°rio de Andrade | Pauliceia Desvairada

pauliceia.jpg

Pauliceia Desvairada foi o grito de ipiranga de M√°rio de Andrade, com os seus primeiros poemas modernistas.

Neste livro tenta definir o novo caminho da cria√ß√£o art√≠stica brasileira, por isso √© ousado na sua escrita, fazendo arrojadas experi√™ncias com a linguagem: versos livres, associa√ß√Ķes de imagens, linguagem coloquial...

A não perder o seu Prefácio Interessantíssimo para quem queira compreender o impacto que Mário de Andrade teve nas bases do Modernismo brasileiro. Se não fosse ele, talvez o Modernismo não fosse tão celebrado nos tempos que se seguiram à Semana de Arte Moderna, tendo sido ele próprio a força motriz por detrás desse evento cultural que viria a reestruturar toda a literatura e as artes visuais brasileiras.

P√°g. 1/9

2019 foi o ano que escolhi para ler Sophia de Mello Breyner
Visitem o mundo encantado de Sophia
Em 2021 irei ler Jorge de Sena
Preparem-se para dar a volta ao vosso mundo
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos P√°ssaros est√° aqui!
Tudo o que escrevi para Os Desafios da Abelha est√° aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
A imprensa comentada no final de cada mês na Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O que leio, capa a capa

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Estante

no fundo da estante