Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

30
Dez20

2020, o ano da perplexidade humana

bookinices.png

Ditou a natureza que 2020 seria o ano do seu grito.

Um basta! que obrigou o mundo inteiro a parar para reflectir.

2020 foi o ano em que a humanidade adoeceu, morreu e a natureza ganhou sa√ļde, renasceu.

Foi também o ano da perplexidade humana, um ano interessante do ponto de vista sociológico e psicológico, em que o ser humano deixou cair a máscara, apesar de ter de usar uma diariamente, revelando a sua humanidade ou a falta dela nestes tempos difíceis. As certezas que tantos tinham ruíram, desfazendo-se em pó. As certezas de quem eram, seguiram o mesmo caminho.

Fala-se muito do regresso à normalidade, mas não sei de que normalidade se fala, que conceito será esse. Talvez todos queiram regressar à mesma normalidade que consideravam normal e que, afinal, talvez não o fosse.

Se vai ficar tudo bem? 

Importa √© ficarmos bem, porque a sa√ļde continua a ser um dos bens mais preciosos.

Em 2020 ficará na minha memória uma imagem que nunca esquecerei: todas as manhãs em que conduzi para o trabalho, em estradas completamente desertas, sem avistar uma alma humana, debaixo de um silêncio ensurdecedor e apocalíptico.

Nessas manhãs, apesar de sentir que o mundo estava a acabar, nunca vi o céu tão bonito, nunca respirei um ar tão puro, nunca tinha sentido o silêncio assim.

Foram estes momentos cataclísmicos que me marcaram com a sua dualidade de grande beleza em plena destruição.

29
Dez20

Balanço livresco de 2020

2020.png

Metas de leitura com base no n√ļmero de livros lidos n√£o √© e nunca ser√° o meu objectivo. Na leitura n√£o gosto de quantificar, mas de qualificar, porque leio, acima de tudo, pessoas e n√£o meros objectos.

E é delas que é feito o meu balanço livresco de 2020, pessoas que escreveram histórias e poemas, pessoas com quem passei os meus dias. 

Com elas vivi, passeei, acordei, adormeci. Com elas os dias de 2020 tornaram-se mais bonitos, apesar de tudo o que ia acontecendo no mundo. 

Das arestas exactas dos versos da poesia russa às florestas ondulantes de Sophia, do sol aconchegante de Cecília à paixão exacerbada de Mário de Andrade, dos muitos amores de Vinicius à sentimentalidade de Manuel Bandeira.

Em 2020 decidi trazer mais calor e ritmo brasileiros às minhas leituras, porque o que li em 2020 não foi uma coincidência, mas um meio de sobrevivência aos tempos que vivemos. A literatura brasileira trouxe o sol, o espaço e a alegria que faltaram aos nossos dias. 

Vi-me obrigada a adiar o ciclo de leitura de Jorge de Sena para 2021. Devido aos constrangimentos provocados pela pandemia foi impossível ter os seus livros na minha estante. A boa notícia é que está tudo preparado para que a leitura de Sena aconteça em 2021. 

Com esse adiamento, prolonguei um pouco mais o ciclo de leitura de Sophia, j√° finalizado e de quem j√° tenho muitas saudades. A ela regressarei no ciclo de leitura de Sena, quando escrever sobre a forte amizade que os uniu.

E neste adeus a 2020 aqui ficam os nomes que me acompanharam ao longo destes doze meses que nunca me pareceram t√£o longos:

 

Os portugueses:

Sophia de Mello Breyner Andresen

 

Os brasileiros:

Cecília Meireles

Manuel Bandeira

M√°rio de Andrade

Vinicius de Moraes

 

Os russos:

(1743-1816) Gavrila Derzhavin

(1769-1844) Ivan Krylov

(1783-1852) Vasily Zhukovsky

(1787-1855) Konstantin Batyushkov

(1792-1878) Prince Pyotr Vyazemsky

(1797-1846) Wilhelm K√ľchelbecker

(1798-1831) Anton Delvig

(1800-1844) Yevgeny Baratynsky

(1803-1846) Nikolay Yazykov

(1799-1837) Alexander Pushkin

23
Dez20

Chove. √Č Dia de Natal

Chove. √Č dia de Natal.
Lá para o Norte é melhor:
H√° a neve que faz mal,
E o frio que ainda é pior.

E toda a gente é contente
Porque é dia de o ficar.
Chove no Natal presente.
Antes isso que nevar.

Pois apesar de ser esse
O Natal da convenção,
Quando o corpo me arrefece
Tenho o frio e Natal n√£o.

Deixo sentir a quem quadra
E o Natal a quem o fez,
Pois se escrevo ainda outra quadra
Fico gelado dos pés.

in Cancioneiro de Fernando Pessoa

P√°g. 1/7

O autor português de 2021 é Jorge de Sena
Preparem-se para dar a volta ao vosso mundo
A autora portuguesa em destaque de 2019/2020 foi Sophia de Mello Breyner Andresen
Visitem o seu mundo encantado
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos P√°ssaros est√° aqui!
Tudo o que escrevi para Os Desafios da Abelha est√° aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
A imprensa comentada no final de cada mês na Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O que leio, capa a capa

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

Estante

no fundo da estante