Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

12
Nov21

Filhos e versos, como os dás ao mundo?

Filhos e versos, como os dás ao mundo?

Como na praia te conversam sombras de corais?

Como de angústia anoitecer profundo?

Como quem pode matar-te?

Ou como quem a ti não volta mais?

 

Poema A Sophia de Mello Breyner Andresen

enviando-lhe um exemplar de «Pedra Filosofal»

Peregrinatio ad Loca Infecta (1969)

in Poesia III de Jorge de Sena

11
Nov21

Jorge de Sena| A Arte de Música

[A música] que não serve para coisa nenhuma

que não seja a criação de si mesma.

 

À semelhança de Metamorfoses cuja poesia foi inspirada em obras de arte, em Arte de Música a poesia foi inspirada em peças musicais.

Sena afirmou que estes poemas representam repetidas vivências de uma obra ou de um compositor, que acabaram por cristalizar-se verbalmente - e, se muitas vezes de uma audição surgiram os primeiros versos, não menos a cristalização não reflecte impressões de uma peça musical pela primeira veza ouvida.

No volume Poesia II foram os poemas de Metamorfoses e Arte de Música que mais apreciei pelo seu experimentalismo, pela ousadia em quebrar a norma do que se escreve em verso.

10
Nov21

E assim nasceram os meus ciclos de leitura

livrologia.png

Sempre li sofregamente todos os livros que queria ler.

Todas as leituras que fiz no passado foram sempre muito diversificadas, leves, porque sempre quis ler pelo menos um livro de cada autor do mundo inteiro. Fui percebendo que não me bastava.

Decidi então mudar o foco das minhas leituras e tornar-me mais precisa e exacta e decidi ler mais detalhadamente sobre um autor de cada vez, conhecê-lo de alma e coração.

E assim nasceram os meus ciclos de leitura. 

Por detrás de cada um deles há sempre um motivo que me leva a escolher um deteminado autor e os motivos podem ser vários. Para os descobrir basta ir acompanhando os autores que escolho ler.

Desde 2019 que faço ciclos de leitura bianuais de autores portugueses. Autores que sempre quis ler de forma mais aprofundada, mas que o tempo ou as circunstâncias nunca permitiram.

O primeiro foi o de Sophia de Mello Breyner Andresen e pretendo continuar a desbravar mais literatura portuguesa.

De todos os ciclos que planeio o dos autores portugueses é o que mais acarinho. Temos excelentes autores que estão a cair no esquecimento e não quero que sejam esquecidos. 

08
Nov21

Não por ser breve mas por ser silêncio

As notas vêm sós por harmonias

como de escalas que se cruzam

em sequências descontínuas de figuras

singelamente acorde surpreendido

de se encontrar num instante pensativo.

São como vagas vindas no perlado

tão diminutas, solitárias mas ligadas

de pura sucessão ocasional

que se rebusca em cálculos descaso

contrário ao hábito de estarem escritas,

ou juntas ou seguidas. Mas é como

se desde sempre este hesitante fluido

houvera de estar pronto a ser pensado

e a soar tranquilo em espaço diminuto

não por ser breve mas por ser silêncio

de uma memória em que a surpresa ecoa

lembranças perpassantes de quanto não foi,

não existiu, não foi vivido e entanto

pungente fere as águas espelhadas

onde de imagens passam vultos claros

em túnicas voando transparentes

e muito curtas sobre membros duros

que dançam devagar a dança juvenil

num salpicar de pés do tempo antigo.

Poema Erik Satie para Piano

Arte de Música (1968)

in Poesia II de Jorge de Sena

07
Nov21

Duas maneiras de falar nela: tecnicamente, ou poeticamente

imageedit_1_2938254367.png

As formas de expressão podem sobrepor-se e até fundir-se em algumas áreas de acção, mas não podem substituir-se, em si mesmas, umas às outras.

O que, mais que para outro meio de expressão estética, é verdade para a música que sempre leva consigo e sempre impõe, por sua mesma natureza, os seus próprios limites. Daí que, mais para ela que para outro meio, só haja duas maneiras de falar nela: tecnicamente, ou poeticamente.

in Posfácio de 1969 -Poesia II de Jorge de Sena

Pág. 1/2

Quanto mais leio, menos sei

O autor português de 2021/2022 é Jorge de Sena
Preparem-se para dar a volta ao vosso mundo
A autora portuguesa em destaque de 2019/2020 foi Sophia de Mello Breyner Andresen
Visitem o seu mundo encantado
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos Pássaros está aqui!
Tudo o que escrevi para Os Desafios da Abelha está aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
A imprensa comentada no final de cada mês na Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog não adopta o novo Acordo Ortográfico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O que leio, capa a capa

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Estante

no fundo da estante