Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

31
Jan22

O poeta que nasceu português e morreu brasileiro em solo norte-americano

21823340_Ku98b.png

Sena sempre teve uma postura humanista e um espírito de inconformismo que nunca o abandonaram. Em 1959 após se ter envolvido numa tentativa falhada de um golpe de estado militar contra o regime salazarista, optou por se exilar-se voluntariamente no Brasil. 

Abandona Portugal de coração partido e alma destroçada. Apesar de abominar a mesquinhez do círculo intelectual português, Sena sempre amou profundamente Portugal como a sua pátria, a sua raíz, a sua língua.

Nunca mais seria o mesmo. O exílio teve nele um impacto profundo.

Por√©m, o ex√≠lio no Brasil n√£o seria o √ļltimo.¬†

A degradação da situação política no Brasil com a instituição da ditadura militar levam Jorge de Sena a aceitar um convite da Universidade de Wisconsin para leccionar. Parte para os Estados Unidos em 1965.

Mais tarde viria a transferir-se para a Universidade da Califórnia, em Santa Bárbara onde viria a permanecer até ao fim dos seus dias.

Apesar da satisfação de ensinar e da amizade que os alunos lhe dedicavam, Sena não foi feliz. Queixava-se da "medonha solidão intelectual da América" onde não havia "convívio intelectual algum" e da esterilidade e espírito burguês do meio académico, que não se interessava pela sua obra.

30
Jan22

Que Portugal se espera em Portugal?

Que Portugal se espera em Portugal?

Que gente ainda h√°-de erguer-se desta gente?

Pagam-se impérios como o bem e o mal

- mas com que h√°-de pagar-se quem se agacha e mente?

Excerto do poema¬†L'√Čt√© au Portugal

Exorcismos (1972)

in Poesia III de Jorge de Sena

30
Jan22

Reclusa a vida em poesia

21823340_Ku98b.png

Reclusa a vida em poesia, n√£o para tir√°-la da Vida, mas para encerr√°-la dentro do mundo da transfigura√ß√£o po√©tica, o √ļnico capaz de abarcar inteiramente tudo, compreendendo tudo, fitando tudo, aceitando tudo, menos aquilo que diminua a liberdade da cria√ß√£o, que o mesmo √© dizer a liberdade do ser humano, recluso em poesia, para n√£o poder fugir de maneira alguma para os campos da maldade e da inf√Ęmia, da mesquinhez e da vileza, aonde tem andado √† solta neste mundo que perdeu o sentido do que necessita ganhar de novo.

Jorge de Sena

Santa B√°rbara, Julho de 1977

in Pref√°cio

Poesia III de Jorge de Sena

28
Jan22

√Č com gente dessa que os imp√©rios se fazem

Pergunto-me a mim mesmo como foi possível:

ou os impérios gastam o seu povo até que ele seja

uma raça agachada, mesquinha e traiçoeira,

ou é com gente dessa que os impérios se fazem,

já que nada glorioso se constrói humanamente

sem 10% de heróis e 90% de assassinos.

Excerto do poema Borras de Império

Exorcismos (1972)

in Poesia III de Jorge de Sena

P√°g. 1/7

Quanto mais leio, menos sei

O autor português de 2021/2022 é Jorge de Sena
Preparem-se para dar a volta ao vosso mundo
A autora portuguesa em destaque de 2019/2020 foi Sophia de Mello Breyner Andresen
Visitem o seu mundo encantado
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos P√°ssaros est√° aqui!
Tudo o que escrevi para Os Desafios da Abelha est√° aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
A imprensa comentada no final de cada mês na Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O que leio, capa a capa

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Estante

no fundo da estante