Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

27
Out23

Os homens dividem as mulheres em duas categorias: as fáceis e as intangíveis

conversatorio_naralia.png

Matilde ao desnudar-se para a sua pintura, para a sua arte, descobre que o seu destino ficaria marcado por essa nudez, descobre que jamais poder√° ser uma mulher como todas as outras.

A arte na sociedade em que vive não se coaduna com o papel que a mulher deve desempenhar, que é bastante limitado. E é pelas palavras de Travassos que Matilde percebe o impacto da nudez na sua arte: "[os homens] dividem as mulheres em duas categorias: as fáceis e as intangíveis".

"Al√©m disso entre n√≥s, h√° ainda muito a ideia de que isto¬†de pintoras, escritoras, de mulheres-artistas, em √ļltima an√°lise, s√£o todas¬†umas‚Ķ"

27
Out23

L√° estavam os seus quadros. Os seus pobres quadros!

Entrou pela porta da oficina e ficou a espreitar por uma vidraça que, no patamar da escada interior, abria sobre a sala da exposição. Daí podia ver sem ser vista. Lá estavam os seus quadros. Os seus pobres quadros!

Que haviam de pensar os outros, se a si própria eles pareciam estranhos e mesquinhos?

in Regresso ao Caos (1960) de Natália Nunes

26
Out23

L√° no alto do quarto andar direito a vida ia acontecendo

ANTGEDEAO.png

Foi neste ambiente calmíssimo, de gastos muito contidos, visto a família ser grande e ser apenas uma pessoa a ganhar para as despesas, que nasceu e cresceu o pequeno Rómulo.

Todas as aten√ß√Ķes foram para ele. Todos os cuidados. Todos os sonhos e todas as esperan√ßas. L√° no alto do quarto andar direito a vida ia acontecendo por detr√°s das janelas donde se avistava um mar de telhados vermelhos do pobre casario de uma cidade envelhecida e, ao fundo, a l√≠ngua do rio a separar a terra do c√©u.

 

in Rómulo de Carvalho / António Gedeão - Príncipe Perfeito de Cristina Carvalho

26
Out23

Poema da malta das naus

Lancei ao mar um madeiro,

espetei-lhe um pau e um lençol.

Com palpite marinheiro

medi a altura do Sol.

 

Deu-me o vento de feição,

levou-me ao cabo do mundo.

pelote de vagabundo,

rebotalho de gib√£o.

 

Dormi no dorso das vagas,

pasmei na orla das praias

arreneguei, roguei pragas,

mordi peloiros e zagaias.

 

Chamusquei o pêlo hirsuto,

tive o corpo em chagas vivas,

estalaram-me a gengivas,

apodreci de escorbuto.

 

Com a m√£o esquerda benzi-me,

com a direita esganei.

Mil vezes no ch√£o, bati-me,

outras mil me levantei.

 

Meu riso de dentes podres

ecoou nas sete partidas.

Fundei cidades e vidas,

rompi as arcas e os odres.

 

Tremi no escuro da selva,

alambique de suores.

Estendi na areia e na relva

mulheres de todas as cores.

 

Moldei as chaves do mundo

a que outros chamaram seu,

mas quem mergulhou no fundo

do sonho, esse, fui eu.

 

O meu sabor é diferente.

Provo-me e saibo-me a sal.

N√£o se nasce impunemente nas praias de Portugal.

Poema da malta das naus 

 in Teatro do Mundo 1958

in Obra Completa de António Gedeão

25
Out23

Os homens hão-de ver apenas a nudez

conversatorio_naralia.png

Durante a sua estadia na casa da madrinha, Matilde refugia-se na sala de caça para pintar. E é nesse lugar marcadamente masculino que começa a pintar as suas "Reminiscências" e mais tarde o seu auto-retrato que intitulará como "La Gamuza".

Neste seu auto-retrato pinta-se nua, em cima de um rochedo, em contacto com a natureza, mas esta sua ousadia terá um preço muito alto e o irmão adivinha-lhe o futuro: os homens hão-de ver apenas a nudez, a tua nudez, e as mulheres chamar-te-ão desavergonhada.

Matilde não teme as consequências que lhe serão desastrosas, simplesmente porque considera que comunicou a sua verdade.

As consequências não tardam em aparecer: a madrinha expulsa-a de casa e deserda-a e perde o noivo. Mais tarde virá a conhecer Castro Borges, o capitalista, que oferece a Matilde uma série de vantagens que ela recusa. No entanto, ele  não hesita em tocá-la e em tratá-la como um mero objecto. Porque é apenas isso que ele vê no seu quadro, um objecto de desejo.

24
Out23

Uma certa amargura para com o cinema brasileiro

543353_3691967300771_1322933224_3573992_245902410_

N√£o s√≥ Vinicius de Moraes escreveu nas suas cr√≥nicas aprecia√ß√Ķes cr√≠ticas sobre filmes, como tamb√©m¬†escreveu sobre o cinema brasileiro,¬†abordando temas como a falta de incentivo √† produ√ß√£o nacional e a qualidade dos filmes brasileiros em compara√ß√£o com as produ√ß√Ķes estrangeiras.

No seu tom há uma certa amargura para com o cinema brasileiro quase inexistente na época em que Vinicius de Moraes escreveu as suas crónicas.

Quanto mais leio menos sei
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos P√°ssaros est√° aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
Notícias literárias ou assim-assim em Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Estante

no fundo da estante