Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

11
Jul19

Sophia de Mello Breyner Andresen | A casa de férias

ImageResizeHandler.jpg

@ www.sothebysrealtypt.com

 

Nem a propósito ou, talvez de propósito, no ano do seu centenário, a casa de férias de Sophia está à venda.

Por curiosidade espreitei as fotos.

√Č de uma simplicidade estonteante. Em cada recanto encontramos a poetisa e as suas palavras de maresia, a sua quietude, o seu sil√™ncio dentro de um b√ļzio.

O meu desejo é que seja habitada por quem lhe dê valor:

 

Esta acolhedora moradia serviu de lar e local de inspira√ß√£o para a fam√≠lia de uma das maiores figuras da literatura portuguesa, que por d√©cadas a usou como casa de f√©rias e cujo nome foi dado √† rua que nos leva at√© √† propriedade. Localizada a menos de cinco minutos da praia, desfrui do sereno espa√ßo exterior e convidativa piscina onde reina a harmonia e privacidade.¬† Descobre ainda uma inspiradora mezzanine onde se encontra a biblioteca particular de Sophia de Mello Breyner Andresen. Espa√ßo √ļnico, intemporal e rodeado de beleza natural.


in Sotheby's

10
Jul19

H√° nestas noites uma ang√ļstia especial

- Estas noites assim n√£o a assustam?

- Assustar? Porquê?

- Tanto azul, tantos brilhos, brisas, perfumes, parecem a promessa de uma vida deslumbrada que √© a nossa verdadeira vida. Mas, ao mesmo tempo, h√° nestas noites uma ang√ļstia especial - h√° no ar o pressentimento de que nos vamos despistar, nos vamos distrair, nos vamos enganar e n√£o vamos nunca ser capazes de reconhecer e agarrar essa vida que √© a nossa verdadeira vida.

História da Gata Borralheira - Sophia de Mello Breyner Andresen

in Histórias da Terra e do Mar

09
Jul19

Quem salvou a Gata Borralheira?

con1.pngNa História da Gata Borralheira de Sophia há três objectos que a marcam simbolicamente: o espelho, o vestido e os sapatos. Irei escrever sobre eles mais adiante, porém no conto tradicional apenas o sapato de cristal e o vestido que a Gata Borralheira veste para ir ao baile se tornaram nos objectos simbólicos.

Aliás, acabaram por extravasar a natureza da história, tornando-se eles próprios no símbolo deturpado de que a vitória da personagem reside no estatuto de princesa, na vaidade e na ostentação.

Se questionarmos alguém sobre o que mais se recorda desta história, serão quase sempre apontados o sapato perdido e o baile grandioso onde o vestido era um dos mais belos.

Raramente alguém se recordará de que a Gata Borralheira não ficou em casa à espera de ser salva. Rebelou-se contra a proibição da madrasta e desobedeceu-lhe. Por iniciativa própria conseguiu ir ao baile, sozinha, não para conquistar um príncipe, mas porque tinha o direito de lá estar.

Se repararem, nenhuma figura masculina a ajudou a conquistar esse direito. O pai estava ausente e mais ninguém até então reparara na sua existência. Apenas as mulheres repararam nela - a madastra e as irmãs - e temiam-na, caso contrário não a teriam ostracizado.

O príncipe aparece quando ela já está a usufruir do baile e a exercer o seu direito de lá estar. 

Ela não foi salva pelo príncipe.

Foi ela própria que se salvou.

06
Jul19

Como se o fim fosse, afinal, o princípio de tudo

con1.png A História da Gata Borralheira de Sophia começa em pleno baile, ao contrário do conto tradicional que todos conhecemos. Como se o fim fosse, afinal, o princípio de tudo.

√Č um in√≠cio bastante cinematogr√°fico, como se acompanh√°ssemos a c√Ęmara a entrar pelo jardim, a contornar a casa cheia de luzes, de risos, de m√ļsica, as janelas com vultos de namorados e depois a entrada da casa onde vemos pela primeira vez L√ļcia.

Enquanto o baile decorre Sophia vai revelando as personagens, dan√ßando connosco e a cada voltear revela mais um segredo, mais uma intimidade, mais um √Ęmago.

Tudo o que nos √© permitido ver √© pelo olhar de L√ļcia.¬†Mas h√° um pequeno momento, quase impercept√≠vel, em que ela v√™ a sua pr√≥pria inexist√™ncia perante o que acha ser a exist√™ncia:¬†

Como se elas, afirmando n√£o saber quem ela era, a atirassem para o mundo das coisas inexistentes.

Desafio dos P√°ssaros

A Miss X aceitou o desafio de escrita dos p√°ssaros. Espreitem o ninho.

Aviso à navegação

A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

ūüďÜ Eventos Livrescos

  •  
  • Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    O que leio, capa a capa

    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D