Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

04
Mar20

Brings to nothing stars

On the abyss's edge we slide

and soon will plunge head first; our life

is given us with our death - and we,

when we are born, begin to die.

Without an ounce of pity, death

strikes all things, brings to nothing stars,

and suns are quenched by her cold breath - 

destroyer of the universe.

 

Gavrila Derzhavin

Excerto do poema On The Death of Prince Meshchersky

in Chapter I - The Eighteenth Century

The Penguin Book of Russian Poetry - edited by Robert Chandler, Boris Dralyuk and Irina Mashinski

19
Fev20

Um poema politicamente controverso

conversatorio.png

Derzhavin nunca teve medo de criticar abertamente todos aqueles que se sentavam  na cadeira do poder, desde os que governavam as terras até aos que julgavam as pessoas comuns.

O contexto social e antropol√≥gico do absolutismo do s√©culo XVIII permitiu a Derzhavin aplicar a sua indigna√ß√£o contra as m√°s ac√ß√Ķes cometidas em prol de uma causa.

As pr√≥prias leis dos monarcas tornaram-se nas suas armas para combater as transgress√Ķes ao sistema. Ali√°s, o conceito de lei no sentido mais lato era-lhe estranho. Para ele o dever dos governantes em fazer cumprir a lei era mais importante que a exist√™ncia da pr√≥pria lei.¬†Para ele justi√ßa nunca foi a mera cria√ß√£o de leis e a sua tranquila e intoc√°vel exist√™ncia num livro empoeirado, mas sim a sua correcta aplica√ß√£o por ju√≠zes virtuosos.

E é num dos seus poemas mais políticos (do qual tenho partilhado alguns excertos) - To Rulers and Judges - que o seu sentido crítico de justiça aparece em verso, apontando aos governantes e juízes as suas responsabilidades morais.

Catarina a Grande leu a sua antologia de poemas onde constava este mesmo poema. Leu os poemas durante dois dias seguidos e permaneceu duas semanas em silêncio sem comentar nada do que tinha lido.

Quando Derzhavin a visitou notou a frieza que lhe dirigiu. Aliás, toda a corte o evitou e ficou evidente que a Imperatriz não gostou da crítica implícita e da ousadia política do poema.

O poema tinha sido baseado num salmo da Bíblia Ortodoxa  e um amigo de Derzhavin perguntou-lhe "O que estás a fazer, irmão, ao escrever versos jacobinos?"

O poeta respondeu-lhe:

O Rei David não era jacobino; portanto, os seus salmos não podem fazer mal a ninguém.

 

Derzhavin nunca negou que escrevera o poema intencionalmente visando a Imperatriz e o seu reino. No entanto, justificou-se que, ao basear-se num dos salmos da Bíblia, a sua intenção crítica fora construtiva, jamais destrutiva:

O ensino das Sagradas Escrituras, quando realizado de maneira sensata e com boas inten√ß√Ķes, nunca pode ser desagrad√°vel.

18
Fev20

Nothing escapes the fatal claws

Nothing escapes the fatal claws,

no creature can avoid her stroke;

monarch and slave are food for worms,

the elements devour our tombs;

time gapes and wears away our fame;

as rivers pour into the seas,

eternity eats our days and years;

kingdoms are swallowed in death's jaws.

 

Gavrila Derzhavin

Excerto do poema On The Death of Prince Meshchersky

in Chapter I - The Eighteenth Century

The Penguin Book of Russian Poetry - edited by Robert Chandler, Boris Dralyuk and Irina Mashinski

18
Fev20

As autumn leaf drops earthward, crumbled

As autumn leaf drops earthward, crumbled,

so shall you plummet from on high;

and you shall perish, as the humbled

poor slave you rule shall surely die!

 

Gavrila Derzhavin

Excerto do poema To Rulers and Judges

in Chapter I - The Eighteenth Century

The Penguin Book of Russian Poetry - edited by Robert Chandler, Boris Dralyuk and Irina Mashinski

11
Fev20

Mais do que um simples poema

conversatorio.png

O poema God de Derzhavin é um dos mais líricos e  mais profundos poemas que escreveu.

Derzhavin começou a escrever o poema em 1780, mas apenas o finalizou em 1784.

Foi uma das odes mais traduzidas pelo mundo inteiro e corre o rumor por entre as hostes liter√°rias que foi impressa a letras douradas em cetim branco, ficando exposta no pal√°cio do Imperador da China.

Mais do que um simples poema, é uma meditação sobre a vida, sobre a morte e sobre a identidade humana.

10
Fev20

You are but mortal - as am I

Ye Kings! I deemed you gods almighty,

with none to give your word the lie,

yet you are passionate and flighty,

you are but mortal - as am I.

Gavrila Derzhavin

Excerto do poema To Rulers and Judges

in Chapter I - The Eighteenth Century

The Penguin Book of Russian Poetry - edited by Robert Chandler, Boris Dralyuk and Irina Mashinski

10
Fev20

Help Innocence recover

Your charge: help Innocence recover,

give shelter to all those in pain;

defend the powerless from Power,

the poor deliver from their chains.

 

Gavrila Derzhavin

Excerto do poema To Rulers and Judges

in Chapter I - The Eighteenth Century

The Penguin Book of Russian Poetry - edited by Robert Chandler, Boris Dralyuk and Irina Mashinski

02
Fev20

O Deus de Derzhavin

gavrila2.png

Tenho partilhado pequenos excertos do poema de Derzhavin - God - que ainda estou a  degustar qual fruto divino.

Durante o período iluminista do século XIX escrever odes ou louvores a Deus estava muito em voga e como Derzhavin, tantos outros o fizeram como Voltaire, Klopstock, Haller, Brockes ou Young.

O mais interessante é que estas odes não têm qualquer carácter religioso, não louvam nenhum dogma ou qualquer religião.

Foram escritas sob a influ√™ncia do de√≠smo que admite a exist√™ncia de Deus de forma racional, recusando a ideia de que Deus consegue alterar a realidade humana, atrav√©s de milagres ou outras manifesta√ß√Ķes divinas, acreditando no indiv√≠duo como reflexo da divindade e, por conseguinte, na sua imortalidade.

Quanto mais leio menos sei
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos P√°ssaros est√° aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
Notícias literárias ou assim-assim em Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Estante

no fundo da estante