Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Livrologia

Livrologia

03
Dez23

Ai Silvina, ai Silvininha

Lindos olhos tem Silvina,

lindas mãos Silvina tem,

e a cintura de Silvina 

é fina como o azevém.

Em Silvina tudo exala 

um cheiro de coisa fina,

mas o que a nada se iguala 

é a fala de Silvina


A doce voz de Silvina

é como um colchão de penas,

é um fio de glicerina,

um vapor de águas serenas.

 

- Porque não cantas, Silvina?

Se a tua voz é tão doce

talvez cantada que fosse 

mais doce que a glicerina.

Porque não cantas, Silvina?

 

- Não me apetece cantar 

e muito menos para ti.

Eu sou nova, tu és velho,

já não és homem para mim.

 

- Não me tentes, Silvininha,

que eu já não te olho a direito.

Sou como um ladrão escondido 

na azinhaga do teu peito.

 

- A azinhaga do meu peito 

corre entre duas colinas.

O ladrão do meu amor 

tem pé leve e pernas finas.


- Canta, canta, Silvininha,

uma canção só para mim.

Dar-te-ei um lençol de estrelas,

uma enxerga de alecrim.

 

- Deixa o teu corpo estendido 

à terra que o há-de comer.

A tua cama é de pinho, 

Teus lençóis de entristecer

 

- Canta, canta, Silvininha, 

como se fosse para mim.

Dar-te-ei um escorpião de oiro 

com um aguilhão de marfim.

 

- Não quero o teu escorpião,

nem de ouro nem de prata.

Quero o meu amor trigueiro 

que é firme e não se desata.



- Pois não cantes, Silvininha,

se é essa a tua vontade.

Canto eu, mesmo assim velho, 

que o cantar não tem idade.

Hás-de tu ser morta e fria, 

cem anos se passarão,

já de ti ninguém se lembra 

nem de quem te pôs a mão.

Mas sempre há-de haver quem cante

os versos desta canção:

Ai Silvina, ai Silvininha,

amor do meu coração.

Ai Silvina, ai Silvininha

 in Máquina de Fogo 1961

in Obra Completa de António Gedeão

Quanto mais leio menos sei
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos Pássaros está aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
Notícias literárias ou assim-assim em Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog não adopta o novo Acordo Ortográfico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D