Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Livrologia

Livrologia

29
Dez20

Balanço livresco de 2020

2020.png

Metas de leitura com base no número de livros lidos não é e nunca será o meu objectivo. Na leitura não gosto de quantificar, mas de qualificar, porque leio, acima de tudo, pessoas e não meros objectos.

E é delas que é feito o meu balanço livresco de 2020, pessoas que escreveram histórias e poemas, pessoas com quem passei os meus dias. 

Com elas vivi, passeei, acordei, adormeci. Com elas os dias de 2020 tornaram-se mais bonitos, apesar de tudo o que ia acontecendo no mundo. 

Das arestas exactas dos versos da poesia russa às florestas ondulantes de Sophia, do sol aconchegante de Cecília à paixão exacerbada de Mário de Andrade, dos muitos amores de Vinicius à sentimentalidade de Manuel Bandeira.

Em 2020 decidi trazer mais calor e ritmo brasileiros às minhas leituras, porque o que li em 2020 não foi uma coincidência, mas um meio de sobrevivência aos tempos que vivemos. A literatura brasileira trouxe o sol, o espaço e a alegria que faltaram aos nossos dias. 

Vi-me obrigada a adiar o ciclo de leitura de Jorge de Sena para 2021. Devido aos constrangimentos provocados pela pandemia foi impossível ter os seus livros na minha estante. A boa notícia é que está tudo preparado para que a leitura de Sena aconteça em 2021. 

Com esse adiamento, prolonguei um pouco mais o ciclo de leitura de Sophia, já finalizado e de quem já tenho muitas saudades. A ela regressarei no ciclo de leitura de Sena, quando escrever sobre a forte amizade que os uniu.

E neste adeus a 2020 aqui ficam os nomes que me acompanharam ao longo destes doze meses que nunca me pareceram tão longos:

 

Os portugueses:

Sophia de Mello Breyner Andresen

 

Os brasileiros:

Cecília Meireles

Manuel Bandeira

Mário de Andrade

Vinicius de Moraes

 

Os russos:

(1743-1816) Gavrila Derzhavin

(1769-1844) Ivan Krylov

(1783-1852) Vasily Zhukovsky

(1787-1855) Konstantin Batyushkov

(1792-1878) Prince Pyotr Vyazemsky

(1797-1846) Wilhelm Küchelbecker

(1798-1831) Anton Delvig

(1800-1844) Yevgeny Baratynsky

(1803-1846) Nikolay Yazykov

(1799-1837) Alexander Pushkin

6 comentários

Comentar post

Quanto mais leio menos sei
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos Pássaros está aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
Notícias literárias ou assim-assim em Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog não adopta o novo Acordo Ortográfico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D