Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Livrologia

Livrologia

18
Out19

Desafio de escrita dos pássaros #6

Quando Capuchinho com o seu cesto

Cantarolava pela floresta

Foi arrebatada pelo amor desonesto

Que a atingiu como uma flecha

 

Chamava-se ele Lobo Mau

E a maldade ficava-lhe tão bem

Doces palavras dizia num miau

Derretendo corações com desdém.

 

Encontravam-se às escondidas

Sempre em lugar secreto

Destas paixões proibidas

Ninguém sabia, tudo discreto.

 

Quando Capuchinho anunciou

O casamento com o seu amor

A avó imediatamente repudiou

O Lobo Mau, esse grande sedutor.

 

Lobo Mau procurava uma cabana

Para com Capuchinho viver

Mas distraído pela fome insana

Sete cabritinhos acabou por comer.

 

Eis senão quando, encontra

Abandonadas três cabanas

Decidindo sem mais delonga

Ficar com uma dessas choupanas.

 

Mas três porquinhos zangados

Apareceram a decretar

Serem eles os proprietários

Daqueles ninhos para amar.

 

Lobo Mau não quis saber

E gritou para um porquinho:

- Sai daí que vou-te comer!

- Sai já do meu ninho!

 

Furioso, soprou tão forte

Que fez uma cabana ir pelo ar,

Incendiou outra com o desnorte,

E conseguiu uma com o roubar.

 

Pelo incêndio enraivecido

Ficou um porquinho assado

O Lobo Mau ficou agradecido

Pelo banquete, mero acaso.

 

Capuchinho adorou o seu lar

As janelas e as cortinas

Os tapetes e a sala de estar

E as porcelanas finas.

 

Mas ao entrar na cozinha

Chocada, frigorífico não viu

Queria um de primeira linha

E assim ao Lobo exigiu.

 

O Lobo procurou, procurou

Nenhum havia em promoção

Nenhum frigorífico achou

Que grande desilusão.

 

O Lobo Mau ficando sem opções

Decidiu ir à casa da Branca de Neve

Esperou que saísse com os Sete Anões.

E entrou-lhes em casa, ah!, como se atreve!

 

O frigorífico desapareceu

Disseram que foi a bruxa má

Lobo Mau um roubo cometeu

O problema resolvido está.

 

O amor a tudo resiste

Mas não sem comida fresca

Só com uma cabana desiste

Da história mais pitoresca.

 

Quanto mais leio menos sei
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos Pássaros está aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
Notícias literárias ou assim-assim em Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog não adopta o novo Acordo Ortográfico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D