Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

28
Dez21

O Livrologia é um blog escrito ao ritmo da minha leitura

livrologia.png

O Livrologia √© um blog escrito ao ritmo da minha leitura: se me demoro, se me apresso, se fa√ßo uma pausa.¬†√Č menos um blog sobre livros e mais um blog sobre a sua leitura, onde se parte √† descoberta dos autores e dos seus significados impressos. E por ser um blog de leitura partilho excertos do que estou a ler - talvez demasiados -, mas o intuito deles √© trazer outros para dentro das p√°ginas dos livros, para poderem sentir um pouco do mesmo deslumbramento que estou a sentir durante o acto de ler.¬†

Os 7 anos de Livrologia têm vindo a partilhar um pouco das origens do blog, da sua criação, à sua estrutura. Esta pequena comemoração termina por aqui, mas o blog continuará a comemorar a leitura como sempre.

10
Nov21

E assim nasceram os meus ciclos de leitura

livrologia.png

Sempre li sofregamente todos os livros que queria ler.

Todas as leituras que fiz no passado foram sempre muito diversificadas, leves, porque sempre quis ler pelo menos um livro de cada autor do mundo inteiro. Fui percebendo que n√£o me bastava.

Decidi então mudar o foco das minhas leituras e tornar-me mais precisa e exacta e decidi ler mais detalhadamente sobre um autor de cada vez, conhecê-lo de alma e coração.

E assim nasceram os meus ciclos de leitura. 

Por detr√°s de cada um deles h√° sempre um motivo que me leva a escolher um deteminado autor e os motivos podem ser v√°rios. Para os descobrir basta ir acompanhando os autores que escolho ler.

Desde 2019 que fa√ßo ciclos de leitura bianuais de autores portugueses. Autores que sempre quis ler de forma mais aprofundada, mas que o tempo ou as circunst√Ęncias nunca permitiram.

O primeiro foi o de Sophia de Mello Breyner Andresen e pretendo continuar a desbravar mais literatura portuguesa.

De todos os ciclos que planeio o dos autores portugueses é o que mais acarinho. Temos excelentes autores que estão a cair no esquecimento e não quero que sejam esquecidos. 

15
Jun21

A primeira paix√£o foi um livro, a segunda uma biblioteca

livrologia.png

A primeira paixão foi um livro, obviamente: A Fada Oriana de Sophia de Mello Breyner Andresen.

A segunda foi uma biblioteca. Aquela a quem chamo de minha, n√£o o sendo, mas da cidade onde vivi toda a minha inf√Ęncia e adolesc√™ncia.¬†Capturar.pngPor fora imponente e por dentro¬†sombria, cl√°ssica,¬† demasiado pequena nos dias de estudo.¬†Uma biblioteca despida de tecnologia, cheia de livros poss√≠veis, quase todos doados.¬†Livros novos, raridades. Havia um certo misticismo numa capa rasgada, numa p√°gina rabiscada na margem, num canto dobrado a assinalar a pausa de uma leitura esquecida.¬†Quando comecei a ler, o meu caminho mudou de direc√ß√£o e come√ßou a incluir a rua onde ela habitava com as suas colunas, a lembrar um templo de outrora. O meu templo.

07
Mar21

Nos anos 80 os livros n√£o eram democr√°ticos

livrologia.png

Nos anos 80 os livros não eram democráticos. Eram caros, inacessíveis, elitistas. Talvez esta percepção não seja comum a todos, mas será comum para todos aqueles que, como eu, viviam longe dos maiores centros urbanos.

Havia bibliotecas obviamente, em alguns locais, itinerantes, mas os livros eram velhos, de páginas amarelecidas e rasgadas, com cheiro a mofo. Estes livros tinham tudo para não convencerem alguém a ler. Havia também bibliotecas nas escolas, sempre fechadas ou com horários completamente absurdos.

Os professores incentivavam à leitura de uma forma vaga, filosófica, intelectualizando um dos actos mais humanos, tornando-a em algo de muito complexo e distante. Nunca ouvi nenhum deles falar sobre um livro que o tivesse apaixonado verdadeiramente e sempe os considerei imunes ao fascínio dos livros.

Em casa ninguém lia e a minha mãe chegou a proibir-me a leitura que me fazia mal aos olhos. As amigas desdenhavam a leitura, porque não era fixe e me dava um ar de velhota com cheiro a naftalina e obviamente que nunca teria namorado.

Nada nem ninguém me incentivava a ler e ainda assim toda esta resistência clandestina não impediu a minha paixão avassaladora pela leitura.

24
Jan21

Livrologia, 7 anos de existência

livrologia.png

No ano em que o Livrologia comemora 7 anos de existência e, à guisa de comemoração, decidi partilhar um pouco mais sobre os seus bastidores.

O que acontece por detrás do vosso ecrã quando o lêem, as aventuras e desventuras que cada post vive antes de ser publicado, a construção dos ciclos de leitura, a sua desconstrução também, as origens do blog que já existia em papel antes de passar para o digital e todos os porquês da sua existência e da sua persistência num panorama de leitura nacional onde os clássicos são tão pouco amados.

No entanto, quero deixar já aqui o propósito maior do Livrologia.

O Livrologia é o reflexo da minha luta pessoal em prol deste acto tão bonito e tão humano que é o da leitura. Aqui defendo o livro como um dos objectos mais preciosos da cultura de um país e do mundo, defendo quem o escreve, defendo quem o publica, defendo quem o guarda e o estima, defendo quem o partilha, defendo quem o lê.

Quanto mais leio, menos sei

O autor português de 2021/2022 é Jorge de Sena
Preparem-se para dar a volta ao vosso mundo
A autora portuguesa em destaque de 2019/2020 foi Sophia de Mello Breyner Andresen
Visitem o seu mundo encantado
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos P√°ssaros est√° aqui!
Tudo o que escrevi para Os Desafios da Abelha est√° aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
A imprensa comentada no final de cada mês na Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O que leio, capa a capa

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Estante

no fundo da estante