Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

16
Jan21

O Brasil de M√°rio de Andrade

marioandrade2.png

No in√≠cio dos anos 1920, o Brasil tinha todas as condi√ß√Ķes ‚Äúpara n√£o ser moderno, a come√ßar pela mais b√°sica, a educa√ß√£o‚ÄĚ, analisa o bi√≥grafo de M√°rio de Andrade.

A sociedade, sobretudo agrária, era majoritariamente analfabeta, sustentada pela monocultura agroexportadora do café e dominada na política pelas oligarquias, principalmente de São Paulo e Minas Gerais, que, com a política do café com leite se revezavam no poder, por meio do Partido Republicano Paulista (PRP) e do Partido Republicano Mineiro (PRM).

N√£o votavam mulheres, religiosos, militares e analfabetos. E estes eram muitos: alcan√ßavam 71,2% de uma popula√ß√£o de 30,6 milh√Ķes.

Sob o impacto da Primeira Guerra, o mundo revirava ao avesso, afundado na dura realidade que enterrava o otimismo e o sonho de expansão da belle époque.

O sentimento do nacionalismo passa a ser exaltado pelos pa√≠ses envolvidos no conflito. Esse clima alcan√ßou o Brasil, que enfrentava quest√Ķes sociais agudas, greves nas principais cidades do pa√≠s com a emerg√™ncia do movimento oper√°rio.

A intelectualidade e a sociedade estavam polarizadas: em 1922, ano em que era fundado o Partido Comunista do Brasil (PCB), também nascia o Centro Dom Vital, de orientação católica.

O país enfrentava a rebelião tenentista do Forte de Copacabana, assistia ao lançamento, no Planalto Central, da pedra fundamental daquela que seria a futura capital.

‚ÄúTudo isso era um novo tempo. M√°rio e seu grupo foram espectadores e agentes dessas transforma√ß√Ķes‚ÄĚ, informa T√©rcio.

Bertha Maakaroun in Entrevista a Jason Tércio, biógrafo de Mário de Andrade www.em.com.br

14
Jan21

O mentor e organizador do Modernismo

marioandrade2.png

Nossa poesia é resumo, essência, substrato.

~M√°rio de Andrade~

 

Ele foi sem d√ļvida o l√≠der informal do Modernismo.

N√£o se sentia muito √† vontade liderando, mas todos os cr√≠ticos de modo geral, inclusive os contempor√Ęneos dele, sempre o consideraram l√≠der, pois foi autor do primeiro livro de poesia modernista ‚Äď Pauliceia Desvairada.

Ele instigou o grupo a continuar ‚Äď pois n√£o bastou simplesmente fazer a Semana de Arte Moderna ‚Äď publicando artigos, debatendo. Gra√ßas a ele, o Modernismo se tornou movimento importante e influente at√© hoje na literatura. Al√©m de ser autor do romance mais importante do movimento, que foi Macuna√≠ma. Ali√°s, talvez seja o romance brasileiro mais conhecido.

Sob a bandeira modernista ele abordou v√°rios campos do conhecimento, folclore, a m√ļsica popular, al√©m de ter sido diretor do Departamento de Cultura de S√£o Paulo, primeiro √≥rg√£o p√ļblico cultural do pa√≠s. Por toda essa dedica√ß√£o foi o principal, e n√£o Gra√ßa Aranha, que tentou ocupar esse lugar, o mentor e organizador do Modernismo.

Bertha Maakaroun in Entrevista a Jason Tércio, biógrafo de Mário de Andrade www.em.com.br

13
Jan21

Os rumores na cauda do vestido de Natalia

pushkin_transp.png

Pushkin escreveu sobre Goncharova:

Quando a vi pela primeira vez, apaixonei-me. Pedi a sua mão. A resposta quase que me enlouqueceu. Nessa mesma noite fui para o exército.

Em Abril de 1830, depois do regresso a Moscovo, Pushkin pediu novamente a m√£o de Natalia e os pais deram o seu consentimento.

Pushkin e Natalia amavam-se profundamente. e tornaram-se num casal absolutamente brilhante: o maior poeta russo e a¬†primeira beldade da R√ļssia.

Estou casado e sou feliz.

Abandonaram Moscovo e foram para São Petersburgo. Pushkin não gostou desta mudança:

Aqui tornei-me est√ļpido.

Natalia estava constantemente grávida e permanecia em casa. Durante cinco anos deu à luz quatro filhos.

Aparentemente tudo indicava que Pushkin e Natalia estavam felizes um com o outro. Ali√°s, o poeta nunca duvidou da fidelidade da esposa, apesar dos rumores que se adensavam cada vez mais.

Charles Georges D’Anthes, cortejou Natalia persistentemente, mas nem ela, nem Pushkin levaram os seus avanços seriamente. Inclusivé, D’Anthes casou com a irmã de Natalia Ekaterina para se manter perto do objecto da sua paixão.

Pushkin cada vez mais preocupado com a sua reputa√ß√£o, cego de f√ļria, foi sarcasticamente¬†condecorado pela sociedade o baston√°rio da Ordem dos Cornudos, visto que os rumores de infidelidade n√£o paravam de aumentar,¬†havendo j√° sussurros sobre um relacionamento de Natalia com o Imperador Nicholas.

Todos estes rumores lançaram o poeta numa depressão profunda.

Tradução do inglês de beautifulrus.com

11
Jan21

Quem era Natalia Goncharova?

Resultado de imagem para natalia goncharova pushkinImagem pt.nextews.com

Natalia Goncharova vivia com os seus pais numa enorme propriedade familiar, com um jardim histórico que continha treze lagos. Apesar da beleza e da imponência do local, no seu interior o seu pai, Nikolai Afanasevich, era um alcoólico inveterado, apesar da versão oficial indicar que bateu com a cabeça após a queda de um cavalo, ficando com "fadiga mental" crónica, e a sua mãe , uma mulher nervosa e constantemente irritada com tudo e todos.

A primeira vez que apareceu em sociedade, Natalia era muito reservada e tímida, tanto, que todos pensavam que ela nada tinha a dizer e que se mantinha em silêncio por esse motivo. Aliás, Natalia era não só inteligente, como também tinha uma educação perfeita. Sabia falar francês, alemão e inglês, tinha conhecimentos de história e geografia, e sabia jogar xadrez admiravelmente, para além da beleza excepcional que deslumbrava onde quer que estivesse.

Graças ao amigo de Pushkin, Fyodor Tolstoy, o poeta tornou-se num convidado frequente da casa dos Goncharov, no entanto o relacionamento com a futura sogra revelou-se difícil desde o início. Conhecida, não só pela sua personalidade irascível, mas também pela sua religiosidade fanática, nunca aprovou a dissidência de Pushkin.

Quando o poeta pediu a m√£o de Natalia, a m√£e recusou, dizendo que ela era demasiado jovem para se casar.

Pushkin caiu em depress√£o e decidiu partir para a guerra do C√°ucaso.

Tradução livre do inglês beautiful.rus
09
Jan21

Um grandalh√£o de personalidade fr√°gil

marioandrade2.png

Fisicamente, √© descrito por T√©rcio como um ‚Äúgrandalh√£o de personalidade fr√°gil‚ÄĚ, de 1,87m, ‚Äúombros largos, l√°bios grossos, dentes pequenos numa boca que ficava maior quando gargalhava‚ÄĚ.

E mesmo que a orientação sexual deste gênio seja um detalhe pouco relevante, Tércio trata de desfazer o mistério:

M√°rio de Andrade, acredito, era bissexual. As pessoas valorizam muito isso, mas esse aspecto serve para encobrir e minimizar a import√Ęncia dele como intelectual e para a cultura brasileira. Abordo no livro, divulgo cartas in√©ditas com pessoa do sexo masculino com quem aparentemente teve casos, e ind√≠cios de relacionamento com mulheres. Esse tema s√≥ ganhou import√Ęncia por ter sido escondido por muito tempo.

- afirma Tércio.

Bertha Maakaroun in www.em.com.br

07
Jan21

O nosso complexo de an√Ķes

sena4.png

Seria preciso escavar s√©culos de inconsciente nacional para perceber o que nos torna um povo t√£o melindroso com personalidades insolentes, g√©nios furiosos, orgulhosos solit√°rios ou simplesmente pessoas que gostam de andar ‚Äúpor caminhos esconsos‚ÄĚ.

No document√°rio que Joana Pontes fez¬† sobre Jorge de Sena,¬†O Escritor Prodigioso,¬† o depoimento do artista Fernando Lemos parece tocar no fulcro da quest√£o, designando-o¬† como¬† ‚Äúo nosso complexo de an√Ķes‚ÄĚ.

An√Ķes que n√£o suportam quando algu√©m ‚Äú√© mais alto‚ÄĚ por isso mandam de imediato que se lhe cortem esses cent√≠metros como ‚Äúse fossem uma excresc√™ncia‚ÄĚ.¬†Ora Jorge de Sena tinha esses cent√≠metros a mais n√£o apenas na literatura mas tamb√©m na academia.

in Jorge de Sena: cem anos a estragar as festas de Joana Emídio Marques

06
Jan21

Sena não se coibia de criticar, por vezes ferozmente, a cena cultural do país

sena4.png

A rela√ß√£o de J. Sena com o Portugal dito culto sempre foi complicada. Por um lado, Sena n√£o se coibia de criticar, por vezes ferozmente, a cena cultural do pa√≠s. Ele pr√≥prio o disse: ‚Äún√£o perdoo a ningu√©m a mediocridade, a estupidez, a vileza, a malignidade, a incultura, a sufici√™ncia, a intoler√Ęncia, o esp√≠rito de compromisso, a cobardia moral". Alvo de cr√≠ticas violentas, boa parte do meio intelectual portugu√™s n√£o encarava Sena como ‚Äúpersona grata‚ÄĚ.

A revista ‚ÄúO Tempo e o Modo‚ÄĚ dedicou-lhe em 1968 um n√ļmero inteiro ‚Äď mas era uma exce√ß√£o. Depois do 25 de Abril de 1974 Jorge de Sena veio a Portugal na esperan√ßa de ser convidado por alguma universidade. Mas fecharam-lhe as portas, nomeadamente as da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Este lament√°vel facto acentuou a amargura de J. Sena. Do√≠a-lhe profundamente n√£o ser reconhecido na sua p√°tria.

Sena foi ‚Äď hoje √© dif√≠cil neg√°-lo ‚Äď uma pessoa superior. Talvez devesse n√£o valorizar tanto o reconhecimento dos portugueses, ou melhor, a falta dele. Mas este sentimento √© muito portugu√™s.¬†

in Jorge de Sena de Francisco Sarsfield Cabral

21
Dez20

Vinicius, uma pessoa dócil e carinhosa

vinicius_compoetas.jpg

Só poetas: Drummond, Vinicius, Bandeira, Quintana e Paulo Mendes Campos,
na casa do cronista Rubem Braga. Rio de Janeiro, 1966

@ www.algumapoesia.com.br

Quem conviveu com Vinicius de Moraes dizia que ele era uma pessoa dócil e carinhosa, não só com as mulheres - por quem tinha um fraquinho de conquistador inveterado -, mas também com os amigos.

O poetinha, como ficou conhecido, adorava usar palavras com diminutivo.

Alegre, simp√°tico, com um sentido de humor apurado, adorava a vida bo√©mia, despreocupada e irreverente, conquistando muitas amizades, especialmente grandes nomes¬†da literatura e da m√ļsica brasileiras, bem como amizades fora do pa√≠s como Pablo Neruda e Orson Welles.

A casa de banho era o seu lugar preferido em casa, onde escrevia sentado na banheira. 

Fumar e beber uísque eram os seus pequenos prazeres. Costumava dizer que era a bebida mais "nobre" e o melhor amigo do homem: 

√Č o cachorro engarrafado.

O autor português de 2021 é Jorge de Sena
Preparem-se para dar a volta ao vosso mundo
A autora portuguesa em destaque de 2019/2020 foi Sophia de Mello Breyner Andresen
Visitem o seu mundo encantado
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos P√°ssaros est√° aqui!
Tudo o que escrevi para Os Desafios da Abelha est√° aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
A imprensa comentada no final de cada mês na Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O que leio, capa a capa

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

Estante

no fundo da estante