Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

21
Mai22

O cuco n√£o canta

cafe3.pngNeste post o café não tem livros a adoçá-lo, mas tempo sem tempo dentro.

Por mais que o tente prender a planos e calendários, o tempo escapa sempre, escondido pelas intermitências das horas inesperadas em direcção a uma liberdade que nunca será nossa.

Os relógios são os mesmos, mas algo mudou no tempo. Os ponteiros já não se movem de forma compassada e o cuco não canta.

13
Mai22

Companheiros silenciosos

cafe3.pngNeste post o café não tem livros a adoçá-lo, mas viagens.

Em todas as minhas viagens faço-me acompanhar por livros e blocos de notas.

No cais de partida, levo comigo a ideia de que vou ler nas horas vazias e que vou escrever nas horas plenas. Nem um, nem outro acontecem, ali√°s nunca aconteceram e, no entanto, continuo a alimentar a minha mala de viagem com este peso excessivo.

N√£o consigo deixar de o fazer.

Conforta-me saber que os tenho comigo, como companheiros silenciosos.

Todas as minhas viagens pelo desconhecido se tornam melhores assim.

04
Mai22

Meço a minha vida pelos livros que leio

cafe3.pngNeste post o café não tem livros a adoçá-lo, mas o tempo sem leituras que tem sido cada vez mais frequente.

Meço a minha vida pelos livros que leio e sei que, quando não leio, algo não está bem.

O tempo vai escasseando cada vez mais, lenta e penosamente, areia que se esvai. Os livros distantes, envoltos numa memória difusa de maresia, escondendo o horizonte lá longe. Sem leitura fico perdida.

A minha criatividade, a minha imaginação destruídas pelo dia-a-dia cada vez mais apressado, sem que um livro me alimente a alma.

E para quê?

Para onde vamos nós, o mundo, com tanta pressa?

07
Mar22

E começo a perceber que há tanto, mas tanto que já não interessa para nada!

cafe3.pngNeste post o café não tem livros a adoçá-lo, mas um desabafo existencial.

Há dias, dias daqueles que teimam em aparecer, que nos lançam para um poço de frustração existencial, dias que desenham no ar uma pergunta só: é isto que eu quero para a minha vida?

Quest√£o que teima em surgir nos meus dilemas profissionais.

Se na juventude achava que tudo valia a pena, com aquele ímpeto e animosidade que todos os inícios têm, agora calculo matematicamente esse valer-a-pena como um cientista que observa a vida através de uma proveta.

À medida que envelheço, a existência vai ficando cada vez mais curta e nesse encurtar há que escolher sabiamente o que é importante. E começo a perceber que há tanto, mas tanto que já não interessa para nada! 

17
Jan21

O regresso à escrita em papel

escrita.png

Uma das minhas resolu√ß√Ķes de 2020 foi o regresso √† escrita em papel.

Ao longo do ano fui escrevendo, mas nunca acreditando que o h√°bito se iria inculcar nos meus dias. Ali√°s, desconfiei sempre que n√£o iria conseguir concluir nenhum caderno.

Qual não foi o meu espanto ao chegar ao dia 31 de Dezembro não com um caderno escrito, mas com cinco. Cumpri não só uma resolução, cumpri também a promessa de regressar aos meus dias de adolescente em que tantas páginas foram escritas.

A escrita em papel não será uma resolução para 2021, faz novamente parte da minha existência.

As saudades que tive dela!

17
Ago20

Leio menos livros no Ver√£o, um esc√Ęndalo!

mar7.jpgDois dos meus grandes prazeres de férias é tomar o pequeno-almoço ao ar livre enquanto leio jornais. Mais tarde, depois do almoço, espreguiço a minha preguiça em frente ao mar ou a uma piscina, com uma revista.

Infelizmente a imprensa escrita é tratada cada vez mais de forma descartável, mas há verdadeiros tesouros, textos belíssimos que podemos encontrar por entre as suas páginas em papel ou online.

Encontro sempre histórias que me emocionam, pessoas que me inspiram, novas ideias, novas perspectivas e também muito ridículo. Mas são estes pequenos delitos jornalísticos que dão outro colorido ao mundo e, convenhamos, sem eles não teríamos tanto assunto de conversa nestes dias tontos de veraneio.

Leio menos livros no Ver√£o para cometer estes pecadilhos de imprensa.

Um esc√Ęndalo!

16
Jun20

Ler Imagens, uma outra forma de leitura

cafe3.pngNeste post o café não tem livros a adoçá-lo, mas outra forma de leitura.

Alberto Mangel, o escritor de bibliotecas, escritores, romances, personagens e lugares imagin√°rios escreveu um livro que nos ajuda a Ler Imagens.

Como se lê uma obra de arte?

Como se lê a história por detrás de um desenho, de uma pintura ou escultura, apenas com o nosso olhar e o nosso pensamento?

 

Manguel v√™ as imagens como marcas de uma aus√™ncia, enigmas e testemunhos, manifesta√ß√Ķes de conhecimentos ou de pesadelos. Reflexo tamb√©m de viol√™ncia ou de uma subvers√£o, a arte nunca deixa de ser mem√≥ria e teatro, constru√ß√£o ou afirma√ß√£o de uma filosofia de vida. Para cada ideia, desfiam-se epis√≥dios biogr√°ficos e art√≠sticos memor√°veis, pequenos apontamentos que tornam as grandes obras ainda maiores. A tudo se recorre para tentar interpretar o mist√©rio da cria√ß√£o humana. Se cada ‚Äúimagem √© apenas uma pincelada de cor, um peda√ßo de pedra, um truque de luz na retina‚ÄĚ, como explicar as infinitas rea√ß√Ķes que despertam na nossa mente?

in¬†‚ÄúLer Imagens‚ÄĚ, de Alberto Manguel: Aprender a ver melhor por¬†Lu√≠s Ricardo Duarte

@ Vis√£o

 

Comprar¬†@ Edi√ß√Ķes 70

15
Jun20

O Mercado do Livro no Porto

cafe3.pngNeste post o café não tem livros a adoçá-lo, mas um mercado.

O Mercado do Livro vai acontecer no Pal√°cio da Bolsa do Porto com mais de 50 editoras nacionais e estrangeiras.

Haver√° n√£o s√≥ promo√ß√Ķes, mas tamb√©m um regresso aos tempos idos de compra de livros¬†ao peso, recriando o ambiente dos mercados tradicionais da cidade do Porto.

E se aparecerem no dia de São João, 24 de Junho, receberão um manjerico, mas só para os primeiros 30 visitantes, por isso apressem-se.

 

ūüďö Mercado do Livro

P√°tio das Na√ß√Ķes - Pal√°cio da Bolsa

Porto

De 18JUN20 a 05JUL20

10:00H - 19:00H

Quanto mais leio, menos sei

O autor português de 2021/2022 é Jorge de Sena
Preparem-se para dar a volta ao vosso mundo
A autora portuguesa em destaque de 2019/2020 foi Sophia de Mello Breyner Andresen
Visitem o seu mundo encantado
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos P√°ssaros est√° aqui!
Tudo o que escrevi para Os Desafios da Abelha est√° aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
A imprensa comentada no final de cada mês na Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O que leio, capa a capa

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Estante

no fundo da estante