Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

23
Out20

Ciclo de Leitura | Cecília Meireles

livrologia.png

Tudo sobre: Cecília Meireles

 

Antologia Poética

Com poemas de:¬†Viagem;¬†Vaga M√ļsica;¬†Mar Absoluto;¬†Elegia 1933-1937;¬†Retrato Natural;¬†Amor em Leonoreta;¬†Doze Nocturnos da Holanda;¬†O Aeronauta;¬†Romanceiro da Inconfid√™ncia;¬†Pequeno Orat√≥rio de Santa Clara;¬†Can√ß√Ķes;¬†Metal Rosicler;¬†Poemas Escritos na √ćndia;¬†In√©ditos.

C√Ęnticos

O que se diz e o que se entende

Ou Isto ou Aquilo

Olhinhos de Gato

22
Out20

Cecília Meireles | Olhinhos de Gato

olhinhos.jpg

Com Olhinhos de Gato termino o meu ciclo de leitura de Cecília Meireles.

E termino com esta reflex√£o po√©tica sobre a dor da perda, a solid√£o, a morte e o luto, embalada pelas hist√≥rias da ama e pelo afecto da av√≥, pelas brincadeiras infantis, medos, ensinamentos e descobertas no¬†bairro do Est√°cio, no Rio de Janeiro, onde Cec√≠lia passou a sua inf√Ęncia.

Já sinto saudade do seu traço firme e elegante e há momentos em que Olhinhos de Gato ainda chama por mim, para vir brincar e mostrar os vestidinhos das bonecas, as árvores de fruto, as formas das nuvens que desenham castelos no ar e princesas de além-mar.

21
Out20

Cecília, transformada em nuvem

cecilia_logo.jpg

Cec√≠lia deu o seu √ļltimo suspiro, devido a doen√ßa prolongada, dois dias depois de comemorar os seus 63 anos, .¬†

O Di√°rio de Lisboa escreveu, na altura da sua morte, que:

O desaparecimento de Cecília Meireles privou a literatura brasileira de uma figura de singular altitude e Portugal de uma amizade séria e profunda.

@ Di√°rio de Lisboa n.¬ļ 15055, de 12-11-1964, suplemento Vida Liter√°ria e Art√≠stica, pp. 1 e 7

 

E Sophia, a mesma Sophia que me convenceu a ler Cecília, escrevia um poema em sua homenagem:

 

NA MORTE DE CEC√ćLIA MEIRELES

Seu canto permanece
Alinhando nas p√°ginas dos livros
Verso por verso letra por letra
Canto de poeta
Canto Interior a tudo

Canto de Cecília
A profunda a secreta
Construtora de um dia
Amargo e ledo
Construtora de um espaço clássico
Num arquipélago nebuloso e medido

Cecília - cinza
As palavras no meio do mar permanecem enxutas.

Sophia de Mello Breyner Andresen | "Antologia", pág. 219 | Círculo de Poesia Moraes Editores, 3ª. edição, 1975

21
Out20

Foi tudo e nada ao mesmo tempo

E como todas essas vidas ainda eram consistentes e limitadas, afrouxou suas moléculas, dispensou qualquer contorno, espraiou-se na fumaça das nuvens, dissipou-se indeterminadamente pelo céu, foi tudo e nada ao mesmo tempo, sem lado de cima, sem lado de baixo, entregue ao campo que há por detrás do mundo, e por onde se rola sem nome, sem figura e sem fim.

Olhinhos de Gato - Cecília Meireles

20
Out20

Como quem despe um vestido

‚ÄĒ OLHINHOS DE GATO! Que √© que est√°s vendo, l√° longe...¬†. l√° longe?

Ela ficava logo perto. Como poderia explicar o que estava sendo, fora da sua vida?...

E tudo era ser e deixar de ser.

Como quem despe um vestido, como quem solta um brinquedo e apanha outro: assim.

Assim facilmente.

Olhinhos de Gato - Cecília Meireles

19
Out20

Cecília, para nós, é só luz

cecilia_logo.jpg

Olho para Cecília encolhida em sua poltrona, iluminando a penumbra do canto da sala.

Vejo-a t√£o menina olhando o solo e descobrindo na madeira floresta e lendas, deslumbrada de azul! Uma ilha cercada de pontes por todos os lados. Pontes para a ternura, pontes para a poesia, pontes para a alma de cada um.

E olhando-a assim, poesia ela mesma, t√£o alta e t√£o pura, percebo porque continua a ser a garotinha √† procura do eco, correndo por todos os cantos e por todos os deslumbramentos, sem poder recolher o eco da pr√≥pria voz: n√≥s somos o seu eco, cantamos o seu canto, sem que ela perceba; somos todos um pouco habitantes de sua Ilha de Nanja ‚Äúonde as crian√ßas brincam com pedrinhas, areia, formigas‚ÄĚ. ‚ÄúSolombra‚ÄĚ, a √ļltima obra de Cec√≠lia, quer dizer s√≥ sombra. Cec√≠lia, para n√≥s, √© s√≥ luz.

in A √ļltima entrevista de Cec√≠lia Meireles por Carlos Willian Leite

@ Revista Bula

Quanto mais leio, menos sei

O autor português de 2021/2022 é Jorge de Sena
Preparem-se para dar a volta ao vosso mundo
A autora portuguesa em destaque de 2019/2020 foi Sophia de Mello Breyner Andresen
Visitem o seu mundo encantado
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos P√°ssaros est√° aqui!
Tudo o que escrevi para Os Desafios da Abelha est√° aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
A imprensa comentada no final de cada mês na Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O que leio, capa a capa

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

Estante

no fundo da estante