Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

29
Out23

Matilde acaba por n√£o pertencer a lugar nenhum

conversatorio_naralia.png

Matilde nas √ļltimas p√°ginas de Regresso ao Caos¬†sente-se dividida como mulher: deixou de ser a mulher que todos esperavam que fosse e tornou-se na mulher que sempre quis ser.

Nessa √©poca, em que Matilde √© retratada, seria imposs√≠vel a exist√™ncia da mulher que se desnuda para um quadro com o intuito de criar arte.¬† Matilde acaba por n√£o pertencer a lugar nenhum, restando-lhe¬†ficar no ‚ÄúCaos‚ÄĚ, ap√≥s a morte do irm√£o.

Enquanto a família tolerava a veia artística do irmão, por ser homem, a Matilde não lhe perdoou o facto de seguir a vida artística, cortando radicalmente os laços com ela.

27
Out23

Os homens dividem as mulheres em duas categorias: as fáceis e as intangíveis

conversatorio_naralia.png

Matilde ao desnudar-se para a sua pintura, para a sua arte, descobre que o seu destino ficaria marcado por essa nudez, descobre que jamais poder√° ser uma mulher como todas as outras.

A arte na sociedade em que vive não se coaduna com o papel que a mulher deve desempenhar, que é bastante limitado. E é pelas palavras de Travassos que Matilde percebe o impacto da nudez na sua arte: "[os homens] dividem as mulheres em duas categorias: as fáceis e as intangíveis".

"Al√©m disso entre n√≥s, h√° ainda muito a ideia de que isto¬†de pintoras, escritoras, de mulheres-artistas, em √ļltima an√°lise, s√£o todas¬†umas‚Ķ"

25
Out23

Os homens hão-de ver apenas a nudez

conversatorio_naralia.png

Durante a sua estadia na casa da madrinha, Matilde refugia-se na sala de caça para pintar. E é nesse lugar marcadamente masculino que começa a pintar as suas "Reminiscências" e mais tarde o seu auto-retrato que intitulará como "La Gamuza".

Neste seu auto-retrato pinta-se nua, em cima de um rochedo, em contacto com a natureza, mas esta sua ousadia terá um preço muito alto e o irmão adivinha-lhe o futuro: os homens hão-de ver apenas a nudez, a tua nudez, e as mulheres chamar-te-ão desavergonhada.

Matilde não teme as consequências que lhe serão desastrosas, simplesmente porque considera que comunicou a sua verdade.

As consequências não tardam em aparecer: a madrinha expulsa-a de casa e deserda-a e perde o noivo. Mais tarde virá a conhecer Castro Borges, o capitalista, que oferece a Matilde uma série de vantagens que ela recusa. No entanto, ele  não hesita em tocá-la e em tratá-la como um mero objecto. Porque é apenas isso que ele vê no seu quadro, um objecto de desejo.

23
Out23

A sociedade n√£o perdoava que uma mulher quisesse ser livre juntamente com a sua arte

conversatorio_naralia.png

Matilde conversa com o irmão Gonçalo sobre o processo de se nascer, de crescer, de se tornar artista. Conversa com ele sobre a sua vontade de voltar a pintar, não como uma simples distracção, mas com a intenção de construir uma carreira.

Ao irmão é desculpado o facto de ter seguido uma carreira musical, dedicando-se à sua arte, com toda a liberdade, simplesmente porque é homem, mas a Matilde a família não lhe perdoa a escolha de seguir uma carreira como pintora.

Aliás, Matilde viria a perceber que por detrás dos sorrisos e da complacência familiar, todos tentaram secretamente desviá-la da pintura para a colocar no bom caminho para se tornar esposa e mãe. A sociedade não perdoava que uma mulher quisesse ser livre juntamente com a sua arte.

21
Out23

Todas as mulheres t√™m duas fun√ß√Ķes: serem¬†esposas e m√£es

conversatorio_naralia.png

Do ponto de vista social, todas as mulheres t√™m duas fun√ß√Ķes: serem¬†esposas e m√£es.

Em Regresso ao Caos, Matilde rebela-se contra este paradigma. Numa sociedade tão restritiva para com as mulheres, ela almeja ter a liberdade para poder escolher a sua vida, não ter filhos por se sentir obrigada, mas sim por os desejar.

O que mais a revolta √© a ideia feita de que as mulheres existem apenas para a¬†procria√ß√£o em s√©rie, como animais, e que todas as mulheres nascem para cumprir este papel obrigat√≥rio de serem m√£es. Ningu√©m questiona Matilde se ela quer ser m√£e, assumem de imediato que ela tem de o ser for√ßosamente. √Č nesta luta entre o que ela quer e o que a sociedade exige que Matilde vive a sua exist√™ncia.

17
Out23

As mulheres só podem fazer quadros para se entreterem e para os pendurarem na sala de estar

conversatorio_naralia.png

Em Regresso ao Caos, Matilde parte para o campo para tratar da madrinha doente, adiando o seu casamento e ando-lhe "a liberdade íntima de fazer projectos".

√Č no campo que a sua voca√ß√£o de pintora desperta novamente, adormecida pelas conven√ß√Ķes sociais, visto que do¬†ponto de vista da sua fam√≠lia, as mulheres s√≥ podem fazer quadros¬†para se entreterem e para os pendurarem na sala de estar.

Sempre que Matilde se quer levantar muito cedo para ir pintar algo que lhe desperta o interesse, como umas vagonetas cheias de pedregulhos, a família reage muito negativamente.

O próprio noivo não valoriza a vocação de Matilde para a pintura:

Tu terás dois entretenimentos à escolha: ou fazes as tais compotas, vigias a cozedura da broa, ou então […] voltas aos teus pincéis ou às tuas telas…

11
Out23

√Č na sua obra que o artista¬†encontra a sua verdadeira realidade

conversatorio_naralia.png

Matilde redescobre a arte como o poder adormecido que a sociedade teima em roubar-lhe. √Č atrav√©s dela que consegue viver a sua humanidade em plenitude.¬†Mas entre a obra e o artista, a quem deve ser dada primazia?

A  arte é o processo de criação e recriação sem uma finalidade específica que não seja a própria criação. Da perspectiva de quem a cria estará sempre incompleta e por isso o criador não pára de a criar. O artista capta a vida, revelando-a na sua arte e no processo de criação, e a vida não tem fim, tal como a arte que continua para além da finitude do artista.

√Č na sua obra que o artista¬†encontra a sua verdadeira realidade. Na concep√ß√£o nietzschiana a contradi√ß√£o entre obra e artista revela-se como a pessoa emp√≠rica versus a pessoa como instrumento¬†e condi√ß√£o da obra. Quem deve ter primazia?

09
Out23

Como mulher passa de objecto a criadora da arte

conversatorio_naralia.png

À medida que as páginas vão avançando, nota-se uma mudança de paradigma em Matilde. Como mulher passa de objecto a criadora da arte, decidida a lutar contra tudo e contra todos para se afirmar como artista. Simplesmente não pode negar o acto criador que vive dentro dela.

Segundo Teresa Sousa de Almeida, no seu artigo Capelinhas e¬†candeias acesas¬†Nat√°lia Nunes e a¬†reflex√£o sobre o¬†universo da arte, Matilde,¬†a protagonista, simboliza uma artista que luta contra as conven√ß√Ķes¬†familiares e sociais para afirmar a sua voca√ß√£o.¬†N√£o interessa se √© pintora ou¬†escritora, porque a sua hist√≥ria √© uma representa√ß√£o figurada das mulheres¬†criadoras e tamb√©m, do ponto de vista est√©tico, dos homens que escolhem¬†o seu pr√≥prio caminho dentro dos movimentos art√≠sticos e ideol√≥gicos do tempo.

Quanto mais leio menos sei
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos P√°ssaros est√° aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
Notícias literárias ou assim-assim em Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Estante

no fundo da estante