Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

12
Mai20

Sophia de Mello Breyner Andresen | A Floresta

Não sei porque é que nunca tinha lido este livro. Perdi-me por tantas árvores e tanto mar de Sophia que me esqueci que este livro existia.

Foi um dos poucos livros que li pela primeira vez e foi de espanto em espanto que calcorreei est' A Floresta. 

Foi inesperado ler um livro de Sophia pela primeira vez.

H√° muito tempo que n√£o o fazia.

E foi como regressar √† inf√Ęncia e descobrir um outro mundo que desconhecia.

15
Fev20

Sophia de Mello Breyner Andresen | O Colar

Foi surpreendente a leitura d' O Colar.

Foi inesperado ler Sophia numa peça de teatro. Como se os seus versos se materializassem subitamente em pessoas, vozes, movimento. 

E perdoem-me a insistente partilha das palavras belíssimas de Luis Miguel Cintra, mas são as que contêm em deslumbramento a exactidão do sentido d' O Colar:

 

Parece, n’ O Colar, que estamos de facto num quarto de brinquedos ou numa casa de bonecas. E sentimos a liberdade e a alegria que só as crianças conseguem a brincar. 

...

Aprende que a vida não é um conto de fadas, aprende a dificuldade, o que é a liberdade limitada, aprende o que é viver com os outros. Conhece a decepção. Percebe que nem sempre a arte, a verdade e a justiça se encontram. Mas lava-se na natureza, na fonte dos pastores. E decide, inventa-se. E aprende a amar.

...

O Colar é uma peça, ou um poema, tanto faz, sobre a perda da inocência, sim, mas contra o cinismo. E por isso, quase sem nos darmos conta, com a extrema delicadeza ou o pudor que só os grandes sabem ter, uma peça para o nosso tempo. A favor da esperança.

Nenhum ser humano é mau nesta pequena história. Todos são diferentes, todos são como são e tão humanos como toda a humanidade.

Mas¬†Vanina¬†sente a ferida de uma vida mais pequena que aquela que os homens mereciam. Perante a decep√ß√£o, a desilus√£o, ela n√£o p√Ķe ‚Äúsobre o seu deslumbramento o selo do esquecimento e da indiferen√ßa‚ÄĚ. Aprende a solid√£o como lugar de dignidade e aprende a mais amar a vida nas suas contradi√ß√Ķes.

28
Jan20

Sophia de Mello Breyner Andresen | Vila D' Arcos

Neste √ļltimo conto das Hist√≥rias da Terra e do Mar h√° uma¬†pequena povoa√ß√£o do nordeste transmontano, onde o tempo parece ter parado, onde tudo permanece imut√°vel, onde o tempo se perdeu.

Vila D' Arcos está mergulhada nesta irrealidade perfeita de isolamento silencioso, o Paraíso de uma terra pequena, cujos limites serão sempre as grades da sua pequenez agrilhoada.

17
Jan20

Sophia de Mello Breyner Andresen | Saga

Esta não foi a primeira vez que li esta história.

Li-a vezes sem conta quando dei aulas, li-a para mim sempre que precisei de me ver, li-a em silêncio quando precisei de me ouvir, li-a em voz alta quando precisei de me calar.

Da terra e do mar Saga é uma das histórias que me é mais querida, mais pessoal, mais minha, porque é sobre coragem, sobre a bravura de conquistar o medo e perdê-lo no errar ou no acertar da vida.

12
Jan20

Manuel Bandeira | Antologia Poética

Na fronteira do tempo finalizei a leitura da Antologia Poética de Manuel Bandeira. E que viagem tem sido!

Nesta antologia, cada poema é um convite ao primeiro olhar, um retorno às fontes de energia de quem observa as coisas como se as visse pela primeira vez, com olhos de menino. Roberto Alvim Corrêa percebeu em Manuel Bandeira um sentimental, um puro que "deixa as coisas ser o que não são, e as respeita como tais", uma vez que "não há poesia sem o respeito da verdade".

 

E como j√° anteriormente tinha escrito:

Manuel Bandeira sempre se envolveu pessoalmente na selecção dos poemas para as suas antologias. Nesta, em particular que estou a ler, a organização é invejável.

Cada capítulo intitula uma fase da poesia que publicou e dentro de cada um deles a selecção dos poemas que melhor definem cada fase sua. Uma antologia como esta permite-nos conhecer o melhor de Manuel Bandeira.

A Cinza das Horas, Carnaval, O Ritmo Dissoluto, Libertinagem, Estrela da Manhã, Lira dos Cinquent' Anos, Belo Belo, Opus, 10, Estrela da Tarde, Poemas Traduzidos, Mafuá do Malungo e Outro Poemas - jóias incrustadas num só livro que de tão precioso deveria ser meu.

 

O livro pode ser encontrado na¬†Rel√≥gio D' √Āgua

2019 foi o ano que escolhi para ler Sophia de Mello Breyner
Visitem o mundo encantado de Sophia
Em 2021 irei ler Jorge de Sena
Preparem-se para dar a volta ao vosso mundo
A Miss X aceitou o Desafio de Escrita dos Pássaros pela 2.ª vez!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
A imprensa comentada no final de cada mês na Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O que leio, capa a capa

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Estante

no fundo da estante