Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

17
Fev24

Vinicius de Moraes | Cinema

imageedit_3_7789467956.png

Vinicius de Moraes começou a escrever críticas cinematográficas em 1941. A partir daí, o seu relacionamento com o mundo cinematográfico atravessou quase todas as áreas. Para além de crítico, foi também produtor, roteirista, delegado e presidente de festivais de cinema nacionais e internacionais e autor de bandas sonoras.

Em 1946, vai para Los Angeles e conhece grandes nomes de Hollywood. Estuda cinema em 1947 com Orson Welles e lança internacionalmente a revista Film, com o então jovem crítico brasileiro Alex Viany. 

Deixou-nos as suas crónicas sobre o cinema do seu tempo, sendo uma perspectiva interessante comparativamente ao século XXI.
11
Fev24

Natália Nunes | A Nuvem. Estória de Amor

IMG_20240210_120719_edit_415469902605259_resized_2

Sei que este livro nem sempre foi bem recebido pela crítica da época. Por ter sido escrito por uma mulher, por ser sobre o amor, por ser sobre o sentir.
Na literatura sinto muitas vezes falta da escrita do sentir e, com Nat√°lia Nunes, tenho-me deleitado com ela.
 
¬ęA Nuvem pode aparecer como um livro falhado, e √© de uma falha¬†que essencialmente ela trata: a falha na compreens√£o dual (trata das¬†rela√ß√Ķes num par, em amantes), na comunica√ß√£o humana, amorosa e¬†n√£o s√≥, e a falha estil√≠stica ‚ÄĒ desde o estilo de vestir ao estilo no falar,¬†ao pr√≥prio estilo do texto, que sofre muta√ß√Ķes no seu decurso (volunt√°rias? decididas?), e uma falha que √© vista como feminina, embora n√£o¬†reivindicada como tal.¬Ľ
 
in A nuvem turbulenta : bosquejo da obra literária de Natália Nunes de Maria Alzira Seixo, 
Col√≥quio/Letras, n.¬ļ 186, Maio 2014, p. 204-209
11
Dez23

Natália Nunes | Ao Menos um Hipopótamo

transferir.jpg

A linha que separa a lucidez da loucura tem a forma de um hipopótamo.

No maravilhoso prefácio deste livro, escrito por José Saramago, a loucura apresenta-se:

¬ęQuando o homem passa da raz√£o para o sonho, a√≠ se deveria acender um sinal vermelho, a√≠ deveriam tocar campainhas de alarme e entrar em funcionamento sistemas de seguran√ßa... Porque a seguir vir√° a loucura, esse mundo temeroso onde os objectos se movem e escarnecem, onde em fundos subterr√Ęneos se abrem t√ļneis viscosos e p√ļtridos, povoados de larvas e de suspeitos movimentos. Onde √© poss√≠vel surgir at√©, patinhando na lama confusa do c√©rebro, a roncar, um hipop√≥tamo...

Constantemente amea√ßada, a raz√£o resiste aos assaltos do absurdo. Protege-se, defende-se, recorre √† tranquilidade das normas e das regras, aceita mesmo a fluidez dos mitos. De qualquer graveto faz uma lan√ßa, de uma nuvem uma muralha, do vazio do espa√ßo uma ab√≥bada firme.¬Ľ

07
Dez23

Nat√°lia Nunes | O Caso de Zulmira L.

33928.jpg

A novela¬†O Caso de Zulmira L.¬†cont√©m as sess√Ķes de psican√°lise de¬†Zulmira L.¬†

Logo na primeira p√°gina Nat√°lia Nunes descreve o prop√≥sito deste livro: ¬ęQuando acabei de me formar, resolvi dedicar-me √† Psicologia. Creio que a isso me levou o meu interesse pelo desvendamento do humano.¬Ľ

Este livro é esse desvendamento do humano que Natália Nunes tanto aprecia, de uma perspectiva pouco científica e mais literária e metafísica.

Pela leitura percorremos o caminho que une a realidade e a realidade feita literatura.

22
Nov23

Nat√°lia Nunes | Assembleia de Mulheres

1_sxymtJZlHj997XwGeisX4w.jpg

Assembleia de Mulheres numa definição: o retrato do microcosmos feminino que reflecte a atmosfera sufocante do Estado Novo.

Mulheres que pensam e falam em voz alta, revelando a submissão das mulheres a uma sociedade ditatorial e à mediocridade profissional.

Vera Alexandrina √© a √ļnica que se destaca. Por ter vivido no estrangeiro, tem outra mentalidade e revela verdadeira vontade de evoluir como mulher e profissional. Ali√°s, esta personagem ir√° aparecer novamente em¬†V√©nus Turbulenta.

10
Nov23

Nat√°lia Nunes | Regresso ao Caos

28068 regresso ao caos natalia nunes.jpg

Nat√°lia Nunes escreveu Regresso ao Caos¬†entre Outubro de 1956 e Outubro de 1958, mas s√≥ saiu, em edi√ß√£o da autora, dois anos depois, porque, segundo Gaspar¬†Sim√Ķes, foi recusado v√°rias vezes.

Talvez nenhum editor quisesse publicar um livro t√£o cr√≠tico do seu pr√≥prio trabalho, visto que¬†Regresso ao Caos¬†exp√Ķe os truques usados em nome do lucro e todas as press√Ķes exercidas sobre os cr√≠ticos para alimentar uma teia de interesses que decidem o futuro da arte, seja ela est√©tica, liter√°ria ou outra.

Ademais, Natália Nunes escreve sobre uma mulher que decide quebrar todas as regras sociais rígidas, decidindo não casar, não ser uma mulher subserviente, optando pela carreira de artista e pela liberdade de ser a mulher que quer ser.

28
Set23

Konstandinos Kavafis | Os Poemas

9789727088454.png

Cavafy, um dos poetas gregos que mais influência teve na literatura moderna grega, chegou até mim por uma carta trocada entre Sophia de Mello Breyner Andresen e Jorge de Sena.

Graças aos autores que leio vou expandindo as minhas leituras para poetas e escritores que provavelmente jamais iria ler.

A influência de Cavafy vai muito para além da literatura grega, atravessando fronteiras e inspirando, quer pela sua linguagem, quer pelos temas que aborda.

A sua poesia é marcada pela sua expressão individualista, pela atemporalidade do contexto histórico e mitológico, pela subtileza e complexidade, convidando os seus leitores à contemplação da condição humana.

26
Set23

Nat√°lia Nunes | Autobiografia de uma Mulher Rom√Ęntica

21696.jpg

A desilus√£o amorosa de uma personagem¬†feminina, que se refugia na prov√≠ncia, seria uma descri√ß√£o redutora de¬†Autobiografia de uma Mulher Rom√Ęntica.¬†

Um livro que marcou uma época em que a literatura de autoria feminina começou a ganhar mais destaque, em paralelo com a luta pela emancipação intelectual da mulher portuguesa.

Neste e nos seus futuros livros, Nat√°lia Nunes teve a ousadia de escrever sem medo sobre o papel e as limita√ß√Ķes da mulher em Portugal, durante os anos 50 e 60. N√£o √© apenas feminismo, mas o feminino na sua ess√™ncia.

Como j√° tinha referido anteriormente,¬†a sua escrita tem caracter√≠sticas¬†woolfianas, servindo-se de uma¬†t√©cnica narrativa de mon√≥logo interior, que aplica o fluxo de¬†consci√™ncia para exp√īr a complexidade do pensamento humano. Uma escrita de¬†car√°cter confessional que mergulha numa complexa an√°lise psicol√≥gica das viv√™ncias da personagem.

Mergulhei de tal forma neste livro que me esqueci frequentemente do que me rodeava e essa √© a prova da adora√ß√£o que senti pela leitura desta¬†Autobiografia de uma Mulher Rom√Ęntica.

Quanto mais leio menos sei
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos P√°ssaros est√° aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
Notícias literárias ou assim-assim em Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Estante

no fundo da estante