Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

by Miss X

Livrologia

by Miss X

19
Fev19

Festivais Liter√°rios: para que servem?

Ao invés de espaços intelectualmente desafiantes, os festivais literários ajudam a tornar-nos impermeáveis aos estímulos que nos convidam a um certo recolhimento, a um movimento interior mais exigente, que não se detém diante da dificuldade, mas se encanta, gosta do atrito que encontra na verdadeira literatura.

 

Nestes certames, as virtudes liter√°rias s√£o neutralizadas, e s√≥¬†contribuem para nos tornar mais est√ļpidos, provocando¬†"o curto-circuito das tentativas da nossa intelig√™ncia inventiva e condenando-nos ao ventriloquismo dos clich√©s que nos atravessam‚ÄĚ.

 

N√£o s√£o, por isso, organizados em nome de um p√ļblico leitor, mas de um p√ļblico que prescinde do tempo que podia dedicar a um bom livro, para estar num audit√≥rio¬†a perder tempo com a tagarelice de uns escritores que mudam de pele e se prop√Ķem como entertainers de segunda.

 

Isto diz-nos que estes eventos não dizem respeito ao literário, mas apenas permitem percepcionar o que se passa com os membros de uma comunidade perfeitamente integrada nas formas de cativar a atenção em oposição à da literatura.

Diogo Vaz Pinto

Artigo integral @ ionline.sapo.pt

28
Jan19

Vou ler até que a voz me doa.

d.png@ mami.blogs.sapo.pt

 

A Mami recorda-nos que no próximo dia 1 de Fevereiro se celebra o Dia Mundial da Leitura em Voz Alta, o modo de leitura que une duas ou mais pessoas em torno de um mesmo livro.

 

√Č um tipo de leitura cada vez mais raro e que, longe de ser a excep√ß√£o, deveria ser a regra, unindo pessoas, uma fam√≠lia, uma comunidade em torno de uma hist√≥ria que algu√©m escreveu outrora solitariamente.

 

Convido-vos a aceitar o desafio que a Mami lançou das leituras em voz alta.

Vou ler até que a voz me doa.

12
Jan19

Guia para bem celebrar 100 anos de Sophia

Imagem relacionada

@ arquivos.rtp.pt

Pertenço à raça dos que percorrem o labirinto/sem nunca perderem o fio de linho da palavra.

- escreveu Sophia no poema Creta.

 

E é a sua palavra que é amplamente celebrada cem anos depois do nascimento desta poeta maior, a 6 de Novembro de 1919, através de uma vasta programação que tem início já neste segundo sábado de janeiro. 

Mas se a palavra est√° obviamente presente numa comemora√ß√£o que se estende al√©m-Portugal, as v√°rias inciativas deste centen√°rio contemplam outras artes presentes na ampla esfera de afetos e influ√™ncias de Sophia, como a dan√ßa, a m√ļsica, as artes pl√°sticas, o cinema, o teatro.

in Vis√£o

08
Jan19

As Bibliotecas P√ļblicas

As Bibliotecas P√ļblicas podem fazer melhor.

Sempre disse publicamente que as bibliotecas podiam abandonar a mentalidade retr√≥grada de reparti√ß√£o municipal e passar a apresentar-se como servi√ßo p√ļblico, √ļtil, din√Ęmico, inovador.
Abram quando os cidad√£os que trabalham tenham disponibilidade de hor√°rio.
Abram quando os estudantes têm as escolas fechadas e precisam delas.

Abram para promover novos espaços de socialização.

02
Jan19

Ler melhora a nossa inteligência emocional

A leitura e a intelig√™ncia andam lado a lado. Quando mais se dedicar √† leitura, mais inteligente se tornar√°. Ao mesmo tempo que ler aumenta o nosso conhecimento ‚ÄĒ informa√ß√£o que guardamos no c√©rebro e que aplicamos em situa√ß√Ķes pr√°ticas da vida ‚ÄĒ, tamb√©m melhora a nossa intelig√™ncia emocional.

 

Um estudo realizado em 2013 pela New School for Social Research, em Nova Iorque, mostrou que ler ficção literária (mais do que não-ficção) é capaz de nos tornar mais empáticos.

 

Al√©m disso, ajuda-nos a compreender o estado dos outros, as suas cren√ßas, desejos, objetivos, princ√≠pios e motiva√ß√Ķes, mesmo que distintas da nossa¬†‚ÄĒ √© a chamada Teoria da Mente, que nos permite fazer¬†escolhas mais ponderadas, sermos¬†mais tolerantes, compreendermos melhor os outros e expandirmos a nossa mundivid√™ncia.

No fundo, h√° potencial para nos tornarmos melhores pessoas.

@ Magg