Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

25
Abr21

Uma cidade e todo o exército dependem de quem governa

Encolerizado, logo lhe lancei toda a esp√©cie de inj√ļrias, sem esquecer nenhuma, ao ver que ele me despojava das armas que eram minhas. Ao chegar a este ponto, ele, que n√£o √© irasc√≠vel, ferido pelo que ouvira, replicou-me deste modo: ¬ę√Č que tu n√£o estavas onde n√≥s est√°vamos, mas longe, onde n√£o devias. Por isso, e porque falas com tanta arrog√Ęncia, jamais navegar√°s com elas para Ciros¬Ľ.

Depois de escutar  tais palavras e tais afrontas, lancei-me ao mar, rumo a casa, esbulhado do que era meu, por esse malvado e filho de malvados, Ulisses.

Contudo n√£o o culpo tanto a ele como aos que se encontram no poder, pois uma cidade e todo o ex√©rcito dependem de quem governa. Os mortais que praticam actos injustos, √© devido √†s li√ß√Ķes dos mestres que se tornam perversos.

Filoctetes in Filoctetes de Sófocles

25
Abr21

Esta chaga que jamais se sacia

Infeliz de mim, aqui estou a morrer de fome e de sofrimento há já dez anos, alimentando esta chaga que jamais se sacia. Aqui tens o que os Atridas e a violência de Ulisses me fizeram, meu filho. Que os deuses olímpicos lhes dêem uma pena que recompense o meu tormento!

Filoctetes in Filoctetes de Sófocles

24
Abr21

O abandono tem muitos nomes, mas apenas uma face

greek1.pngDesde Homero que encontramos a temática do abandono, da solidão e da traição e, em Sófocles, esse imaginário gira em torno dessa mesma tríade.

Em Filoctetes o abandono, a solidão e a traição são indissociáveis e não lhes é permitida uma existência individual. 

 

Com tal companhia, meu filho, me abandonaram neste deserto, quando, vindos da ilha de Crise, aportaram aqui com a sua frota. Então, contentes de me verem adormecer na praia, à sombra de uma rocha, depois de uma viagem no mar agitado, abandonaram-me e partiram. Como a um mendigo, deixaram-me uns míseros trapos e também algum alimento: bem mesquinho alívio. Que a mesma sorte lhes toque!

Porque o abandono de Filoctetes n√£o √© um abandono qualquer, √© um abandono¬†marcado por uma chaga viva, pela aridez da paisagem e pelo isolamento da ilha de Lemnos. Dez anos de prova√ß√Ķes marcados na carne e na alma e que afastaram Filoctetes da sua condi√ß√£o humana, conhecendo ele agora apenas a sua condi√ß√£o de selvagem.

A solidão que ele vivenciou não pode ser descrita como ausência, uma simples falta de companhia, mas sim como a condição que lhe foi imposta: a de renegado.

Exclu√≠do do seu pr√≥prio mundo pelos homens com quem lutou lado a lado, Filoctetes vive numa condi√ß√£o lim√≠trofe entre a civiliza√ß√£o e a barb√°rie, revelando um contraste tr√°gico entre a repugn√Ęncia que a sua apar√™ncia manifesta e a nobreza que a sua personalidade revela.

O abandono tem muitos nomes, mas apenas uma face, a de Filoctetes.

10
Abr21

Podes imaginar qual foi o meu despertar do sono nesse dia

E tu, meu filho, podes imaginar qual foi o meu despertar do sono nesse dia, após a partida deles. Quantas lágrimas verti, quantos males lamentei?

Vi que as naus em que navegava tinham partido todas e não havia homem algum no lugar, ninguém que me socorresse e me ajudasse a suportar a dor.

Observei tudo e n√£o encontrei nada sen√£o o desespero presente: e desse muita abund√Ęncia, filho.

Filoctetes in Filoctetes de Sófocles

10
Abr21

Como foi Filoctetes ferido

greek1.png

O abandono de Filoctetes na ilha de Lemnos deve-se √† sua ferida no p√© e h√° v√°rias vers√Ķes que a tentam explicar.

Uma versão indica que Filoctetes chefiava um contingente de sete naus com cinquenta arqueiros, mas não chegou a Tróia com os outros chefes, porque durante a escala em Ténedo, foi mordido no pé por uma serpente, enquanto procedia a um sacrifício. A ferida infectou de tal modo que exalava um odor de putrefacção insuportável e por isso, Ulisses e os outros chefes abandonaram-no em Lemnos, onde permaneceu dez anos.

Outra vers√£o conta que Filoctetes foi ferido n√£o por um animal, mas por uma flecha de H√©racles envenenada, atingindo acidentalmente o seu p√©, como vingan√ßa de H√©racles, que quis desse modo punir o perj√ļrio cometido por Filoctetes ao revelar o local onde ardera a pira erguida no Eta.

Outra versão ainda indica que os gregos abandonaram Filoctetes na ilha para que ele curasse a ferida. Em Lemnos exista um culto a Hefesto cujos sacerdotes eram conhecidos pelos seus conhecimentos no tratamento de mordidas de serpente. O herói ter-se-ia curado, chegando mais tarde a Tróia, para se reunir com o exército grego.

No entanto, para Sófocles o herói feriu-se na pequena ilha de Crise, onde foi mordido por uma serpente escondida nas ervas altas, no momento em que limpava o altar de Crise.

Quanto mais leio, menos sei

O autor português de 2021/2022 é Jorge de Sena
Preparem-se para dar a volta ao vosso mundo
A autora portuguesa em destaque de 2019/2020 foi Sophia de Mello Breyner Andresen
Visitem o seu mundo encantado
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos P√°ssaros est√° aqui!
Tudo o que escrevi para Os Desafios da Abelha est√° aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
A imprensa comentada no final de cada mês na Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O que leio, capa a capa

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

Estante

no fundo da estante