Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

26
Out21

Jorge e Mécia têm uma maneira de falar do amor

2013_-_Correspondencia_Jorge_de_Sena.jpg

Estou a ler o livro Correspond√™ncia Jorge de Sena e M√©cia de Sena ¬ęVita Nuova¬Ľ (Brasil, 1959-1965) com organiza√ß√£o de Maria Ot√≠lia Pereira Lage, que me tem permitido mergulhar, de certa forma, na intimidade de¬†M√©cia e Jorge de Sena.

As cartas entre eles, para além de nos permitir um voyeurismo atrevido de aspectos íntimos do casal, também nos dá a conhecer episódios e acontecimentos de uma época aprisionada pela censura.

S√£o cartas cheias de amor, mas tamb√©m de muita ang√ļstia, de muita dist√Ęncia. Algumas extraviadas, outras tantas atrasadas s√£o mais¬†do que um ¬ędi√°rio a quatro m√£os¬Ľ.

Vasco Graça Moura deixou-nos um dos melhores testemunhos como leitor deste livro:

Jorge e M√©cia t√™m uma maneira de falar do amor que os une da maneira mais surpreendente e mais frequente. N√£o h√° carta em que um ou mais par√°grafos n√£o exprimam toda a gama de sentimentos amorosos, da saudade intensa ao desejo, sem rodeios sem timidez, sem invoca√ß√Ķes do transcendente, antes como simples e fort√≠ssima puls√£o humana. O real, a vida pr√°tica, o pragmatismo das situa√ß√Ķes atravessadas, entrela√ßam-se assim com um monumento ao amor entre dois seres humanos que o vivem em cada momento das suas vidas, apesar de tantas l√©guas e tanto tempo posto a conseguir enfim atravess√°-las.

Se o ex√≠lio de Jorge de Sena, iniciado no Brasil por 16 anos e rematado por mais 13 anos n√£o tivesse servido para mais nada, se a sua obra torrencial n√£o constitu√≠sse um legado incompar√°vel para as gera√ß√Ķes futuras, bastaria esta troca de cartas para podermos classificar este livro como um dos momentos mais altos da epistolografia portuguesa.

Vasco Graça Moura @ dn.pt

18
Out21

Valter Hugo Mãe, uma honra que lhe é devida

valterhugo_mae.jpg

Sei que pouco escrevi ainda sobre autores contempor√Ęneos portugueses, mas Valter Hugo M√£e √© um daqueles que me conquistou, arrisco dizer, para sempre.

Só quem ousar ler um dos seus livros irá entender este meu amor pela sua escrita.

Fiquei feliz ao saber que lhe foi atribuído o Grande Prémio de Romance e Novela 2020 da Associação Portuguesa de Escritores. Mais do que merecido é uma honra que lhe é devida.

14
Out21

Tenho um grande defeito como leitora

folha.png

Tenho um grande defeito como leitora: n√£o consigo ler um livro √ļnico de uma s√≥ vez.¬†Quero ler tudo ao mesmo tempo, por isso √© que preciso de ter ciclos de leitura bem definidos para manter o foco.¬†¬†

Para quem espreita o Livrologia pode parecer confusa esta minha forma de ler. N√£o a vou mudar, nem a quero mudar.¬†√Č a leitora que sou e cada leitor tem o seu tipo de leitura.

Tudo isto para dizer que, sim, ando a ler muitos livros em simult√Ęneo sobre os quais ainda n√£o escrevi aqui. A seu tempo, mas o fio condutor continuar√° a ser Sena, o autor portugu√™s que escolhi ler em 2021 e em 2022.¬†

Em que ponto estou neste meu ciclo de leitura?

Considerando a escrita densa de Sena, até que não estou a ir muito mal.

Da poesia, estou a ler uma antologia em três volumes. O primeiro volume - Poesia I - já li. Estou neste momento a terminar o segundo - Poesia II.

Da prosa, faltam-me ler dois contos para terminar Andanças do Demónio.

Em 2022 estarei mais focada na leitura da sua prosa, nas cartas que escreveu e nas entrevistas que deu, visto que até lá prevejo terminar a leitura da sua poesia.

E depois há outros livros  que andam sempre a desviar-me do caminho e dos quais falarei mais tarde.

14
Set21

Decidi n√£o resistir

Anna-Karenina.jpg

De todos os escritores russos aquele que mais me desconforta é Tolstoi.

Dostoiévski também me desconforta, mas de uma forma diferente. As nossas almas tocam-se, mas Tolstoi agarra-me pelos cabelos e atira-me para o mundo lá fora e faz-me vê-lo como jamais o veria.

Sempre que leio um livro de Tolstoi faço uma pausa imensa até ler o próximo. Cada livro é tão marcante que preciso de respirar entre eles.

Não estava nos meus planos voltar a lê-lo tão cedo, mas fui desafiada por uma amiga que é também ela uma grande leitora.

Decidi n√£o resistir.

Está na hora de voltar a Tolstoi e a escolha foi dela: Anna Karénina. São quase 800 páginas e cada página está a marcar-me profundamente, como sempre acontece com ele.

04
Set21

Versos que deixam de pertencer a quem os escreveu e s√£o de toda a gente

ABFD3AE2B5024B469072A828FB160749.jpg

Todos os poetas escrevem um poema marcante ou até vários.

Versos que andam na boca das gentes, que caminham pelas ruas do mundo, como preg√Ķes gritados √† janela.

Como poderemos alguma vez esquecer aqueles versos de Sophia:

Quando eu morrer voltarei para buscar
Os instantes que n√£o vivi junto do mar

Ou os de Fernando Pessoa:

O poeta é um fingidor.
Finge t√£o completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E particularmente estes versos de Jorge de Sena

N√£o hei-de morrer sem saber

qual a cor da liberdade.

Poderia enumerar tantos mais poemas que passam pelos tempos e não caem no esquecimento. 

Versos que deixam de pertencer a quem os escreveu e s√£o de toda a gente.

29
Ago21

Uma decis√£o perfeita em circunst√Ęncias imperfeitas

feira.png

Este ano tenho em mãos a oportunidade quase perfeita de poder ir às Feiras do Livro do Porto e Lisboa, mas não irei. Para estar com os livros nunca invento desculpas, mas este ano decidi não ir, contrariando completamente a minha natureza de leitora.

Tenho tanto ainda para ler que n√£o quero cair em tenta√ß√£o de comprar mais livros para empoeirar numa estante j√° de si t√£o cheia de hist√≥rias por ler. Devo esta rever√™ncia a todos os livros que ainda n√£o li.¬†√Č uma decis√£o perfeita em circunst√Ęncias imperfeitas.

30
Jul21

√Čdouard Louis, a crian√ßa martirizada que se tornou num intelectual brilhante**

Louis-photo-5-2.jpg

N√£o h√° nada mais revolucion√°rio do que a verdade.

~√Čdouard Louis~

√Č t√£o raro encontrar algu√©m que escreva t√£o apaixonadamente sobre um autor e, mais raro ainda, que me conven√ßa a fazer um desvio das minhas leituras para ir ao encontro de um novo autor que n√£o conhe√ßo.

Mas foi o que aconteceu durante estas f√©rias ao ler um artigo de Gon√ßalo Frota no √ćpsilon sobre √Čdouard Louis, um jovem romancista franc√™s que tem sido uma revela√ß√£o liter√°ria, especialmente porque todos os seus textos s√£o autobiogr√°ficos. Ali√°s, t√£o chocantes que mais parecem fic√ß√£o.

E o teatro está simplesmente a adorá-lo, com a encenação dos seus textos.

Não é estranho porque a história da minha vida é muito teatral.

Tenho borboletas na barriga como h√° muito n√£o tinha.

Vou incluí-lo nas minhas próximas compras livrescas e veremos se ficarei absolutamente rendida.

Espero que sim.

**Frase de¬†Jan Le Bris de Kerne sobre √Čdouard Louis no √ćpsilon

25
Jul21

N√£o est√° nada mal o andamento deste meu ciclo de leitura

P051-L_2.jpg

Acabei de ler Poesia I e tenho mais dois volumes à minha espera, no entanto não consigo evitar aquela sensação de abandono, de saudosismo já pelo término compassado da leitura de Sena. 

Não vou ler os ensaios literários, aliás alguns deles estudados para os exames da faculdade, nem os seus ensaios políticos. Talvez mais tarde.

Neste ciclo de leitura quero apenas focar-me na poesia e na prosa, com um pequeno desvio pela correspondência que trocou com algumas figuras bem conhecidas e pelas entrevistas que deu a vários meios de comunicação social.

Entretanto, continuo a intercalar com a leitura da sua poesia os contos de Antigas e Novas Andanças do Demónio, que têm sido uma revelação para mim, como a leitora que Sena está a reconquistar.

Considerando todas as contingências que a minha rotina tem sofrido, creio que não está nada mal o andamento deste meu ciclo de leitura.

Quanto mais leio, menos sei

O autor português de 2021/2022 é Jorge de Sena
Preparem-se para dar a volta ao vosso mundo
A autora portuguesa em destaque de 2019/2020 foi Sophia de Mello Breyner Andresen
Visitem o seu mundo encantado
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos P√°ssaros est√° aqui!
Tudo o que escrevi para Os Desafios da Abelha est√° aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
A imprensa comentada no final de cada mês na Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O que leio, capa a capa

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

Estante

no fundo da estante