Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

21
Jul19

William Somerset Maugham| Como é que Maugham se tornou espião?

Como é que um escritor  se torna espião?

Maugham não planeou sê-lo.

De um encontro fortuito com o Major Wallinger a quem foi apresentado num acaso desencontrado, Maugham viria a trabalhar para os servi√ßos secretos brit√Ęnicos.

O facto de ser escritor era o disfarce perfeito para passar incólume enquanto viajava para outro país com a desculpa de estar a fazer um retiro para escrever.

A ideia de se tornar espi√£o agradou-lhe. Mais do que esperaria.

Mestre da invisibilidade, Maugham nunca teve qualquer pudor em representar o papel que fosse necess√°rio no contexto social onde se inserisse. Astuto, diria at√© sem escr√ļpulos, nem sempre olhava a meios para atingir os seus fins. Ali√°s,¬†a vida dos outros sempre o fascinou e o facto de gostar mais de ouvir do que falar permitia-lhe ser um observador nato com um n√≠vel de percep√ß√£o apurado.

Maugham n√£o foi o √ļnico escritor recrutado pelos servi√ßos secretos.

Os escritores eram valorizados pelas capacidades de observa√ß√£o e pelo detalhe com que reportavam as suas miss√Ķes.

19
Jul19

Ainda não me deslumbrou, isso é certo

maugham4.jpg

Retomei a leitura de Servid√£o Humana.

Oitenta p√°ginas volvidas e ainda n√£o tenho uma opini√£o coerente e objectiva para partilhar. Logo eu que sou t√£o opinativa sobre tudo o que leio desde a primeira p√°gina.

Ainda não me deslumbrou, isso é certo.

Servidão Humana é  marcadamente autobiográfico e sempre que volto a página sofro da sempiterna sensação de dejá-vu, de que já li tudo aquilo. E de facto li: na biografia de Maugham, escrita por Selina Hastings.

Ler a sua biografia enquanto leio os seus livros, talvez tenha sido um erro. Um erro que me ir√° provavelmente custar um dos seus melhores livros.

18
Jul19

O despontar da emoção estética

Sentiu desabrochar em si um novo interesse pelo que via da janela da sala do quarto ano. Dela avistava velhos campos relvados primorosamente tratados e árvores frondosas e magníficas que lhe provocavam um estranho aperto no coração, não sabia se de dor ou de prazer.

Era o despontar da emoção estética.

Servid√£o Humana-W. Somerset Maugham

13
Jul19

O que menos gosto em Maugham

maugham4.jpg

Maugham até agora ainda não se tornou num dos meus favoritos. Retomei a leitura de Servidão Humana e talvez me conquiste.

O que menos gosto em Maugham √© a sua escrita desconectada, quase mec√Ęnica. Como se a sua escrita fosse um plano que vai seguindo, escolhendo as palavras certas para atingir um determinado objectivo.

A sua criatividade √©¬†calculada, n√£o inspirada. Quando podia ir mais al√©m numa ideia, continha-se como que amedrontado pela censura do p√ļblico.

Ali√°s, n√£o √© segredo que alterava os seus textos para ir de encontro √† popularidade do seu p√ļblico, especialmente os seus textos dram√°ticos.

Optou por subjugar a sua escrita ao sucesso junto dos seus leitores e, desse modo, condenou-se à mediania.