Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livrologia

Livrologia

27
Out20

Baratynsky & Nastasya

 

Yevgeny Baratynsky.jpeg

Baratynsky por influência de amigos, conseguiria obter a licença do Imperador para se retirar do exército.

Casa-se com a filha do major-general Gregory G. Engelhardt - Nastasya Lvovna Engelgardt - e ficam a viver em Muranovo. Com nove filhos, a vida familiar de Baratynsky parecia feliz, mas uma profunda melancolia se foi abatendo sobre a sua mente e a sua poesia. A sua vida tornou-se insuportavelmente monótona para a sua rebeldia, o que viria a reflectir-se na sua poesia.  O humor de Baratynsky evoluiu do pessimismo para a desesperança e a elegia tornou-se na sua forma preferida para expressá-la.

Em 1843 viaja para Paris onde passa o Inverno a frequentar sal√Ķes liter√°rios, onde lia os seus poemas traduzidos em franc√™s, conhecendo poetas como Alphonse de Lamartine e Alfred de Vigny.

No ano seguinte viaja para N√°poles, onde viria a falecer por doen√ßa s√ļbita.

27
Out20

Farewell, farewell, you brilliant summer skies!

Farewell, farewell, you brilliant summer skies!

Farewell, farewell to nature's splendour!

The waters gleaming in their golden scales,

the woods with their enchanted murmur!

Oh happy dream of fleeting summer joys!

Excerto do poema Autumn

Yevgeny Baratynsky

in Chapter II - Around Pushkin

The Penguin Book of Russian Poetry - edited by Robert Chandler,

Boris Dralyuk and Irina Mashinski

25
Out20

Baratynsky na Finl√Ęndia

Yevgeny Baratynsky.jpeg

Baratynsky foi destacado para um regimento na Finl√Ęndia, onde permaneceu durane seis anos, levando uma vida calma e isolada, escrevendo poesia.

Nos seus primeiros poemas tentou¬†escrever de um maneira diferente de Pushkin, que ele idolatrava e considerava o modelo da perfei√ß√£o. E conseguiu-o, escrevendo num estilo realista e acolhedor, com um toque sentimental.¬†Nos seus poemas sobre a Finl√Ęndia, as descri√ß√Ķes est√£o entre as melhores. A natureza rigorosa da Finl√Ęndia era adorada por Baratynsky.

25
Out20

Bounded by nothing but infinity

He is extinguished! but he greeted all

that lives beneath the sun;

his heart responded to each living call

touching the heart of man;

on wings of thought he soared through earth and sky,

bounded by nothing but infinity.

Excerto do poema On the Death of Goethe

Yevgeny Baratynsky

in Chapter II - Around Pushkin

The Penguin Book of Russian Poetry - edited by Robert Chandler,

Boris Dralyuk and Irina Mashinski

23
Out20

As amizades de Baratynsky

Yevgeny Baratynsky.jpeg

Os três anos de vida campestre de Baratynsky mudaram-no de certa forma.

Depois de se alistar no Regimento Eger de São Petersburgo como soldado raso e imbuído pelo espírito literário, procura conhecer e fazer amizade com mais escritores.

Em 1820 conhece¬†Anton Delvig, que n√£o s√≥ ir√° dar-lhe um novo √Ęnimo pela vida, como tamb√©m o ir√° apresentar √† imprensa liter√°ria. Delvig que teve uma influ√™ncia significante no estilo de escrita de¬†Baratynsky, adorava os seus poemas e ajudou-o a public√°-los, apresentando-o a escritores famosos como¬†Peter Pletnev, Wilhelm Kuchelbecker, Vasily Zhukovsky¬†e Alexander Pushkin.

23
Out20

The sun each morning wakes a little later

The sun each morning wakes

a little later, its rays are colder,

and in the shaky mirror of the lake

it glitters tremulous and golden.

Grey vapour shrouds the hilltops, and the dew

drenches the flat lands by the river;

the fretted oak trees cast a yellowing shade

and the red leaves of aspen shiver;

the birds no longer overflow with life,

the forests and the skies have lost their voice.

Excerto do poema Autumn

Yevgeny Baratynsky

in Chapter II - Around Pushkin

The Penguin Book of Russian Poetry - edited by Robert Chandler,

Boris Dralyuk and Irina Mashinski

15
Out20

Baratynsky, o rebelde que nunca o quis ser

Yevgeny Baratynsky.jpeg

Baratynsky na sua inf√Ęncia n√£o foi um menino qualquer. Nascido de uma fam√≠lia nobre, cedo aprendeu l√≠nguas estrangeiras. Em casa, apenas se falava franc√™s. Com o tio aprendeu italiano. Viria a aprender alem√£o no col√©gio¬† privado em S√£o Petersburgo, onde os seus pais o iriam inscrever.

Aos 12 anos entra no Corpo de Pagens de São Petersburgo, uma escola militar reservada apenas para os filhos de nobres e oficiais de altas patentes, onde um evento viria a mudar o seu destino irremediavelmente.

Baratynsky, aos 15 anos, fazia parte de um grupo de alunos que se dedicavam a pregar partidas, por pura divers√£o, mas uma dessas partidas foi longe de mais. Foi considerada roubo e o pequeno crime motivou a expuls√£o do poeta do Corpo de Pagens, aniquilando todas as suas expectativas.

Baratynsky ficou arrasado e caiu numa depressão profunda. Saiu de São Petersburgo e mudou-se para a aldeia da sua mãe, na província de Tambov. Começou a visitar frequentemente o seu tio - Admiral B. A. Baratynsky - que vivia na província de Smolensk.

A vida simples do campo despertou o seu talento poético, proporcionando-lhe uma observação mais profunda do mundo à sua volta. Apesar dos seus primeiros poemas terem um tom pessimista, à medida que escrevia,  aproximava-se mais do estilo individual que o viria a caracterizar.

Após três anos de vida campestre, Baratynsky alista-se no Regimento Eger de São Petersburgo como soldado raso.

15
Out20

from Rhyme

You, like the faithful dove, bring back

a green branch to the waiting ark

and place it in his eager hand;

you only with your echoing voice

give inspiration a human face

and bring his dream to land.

Yevgeny Baratynsky

in Chapter II - Around Pushkin

The Penguin Book of Russian Poetry - edited by Robert Chandler,

Boris Dralyuk and Irina Mashinski

2019 foi o ano que escolhi para ler Sophia de Mello Breyner
Visitem o mundo encantado de Sophia
Em 2021 irei ler Jorge de Sena
Preparem-se para dar a volta ao vosso mundo
Tudo o que escrevi para o Desafio de Escrita dos P√°ssaros est√° aqui!
Tudo o que escrevi para os Desafios da Abelha est√° aqui!
Já começou a viagem pelo mundo da Gata Borralheira.
Cinema e literatura num só.
Venham também!
bookinices_spring.png
A imprensa comentada no final de cada mês na Operação Bookini
Espreitem as bookinices
A autora deste blog n√£o adopta o novo Acordo Ortogr√°fico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O que leio, capa a capa

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Estante

no fundo da estante