Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Livrologia

by Miss X

Livrologia

by Miss X

18
Set18

William Somerset Maugham| Syrie, um amor feito de tempestade

Resultado de imagem para Syrie WellcomeSyrie Maugham

@wellcomecollection.org

 

Possuidora de um luxuoso guarda-roupa Molyneux, de temperamento veloz, com um apetite voraz por uma boa discussão e com um estilo verbal entrecortado por chilreios ruidosos, Syrie era uma espécie de protofeminista.

No início dos anos de 1910 tornou-se estagiária numa empresa de decoração de Londres, onde aprendeu restauração de móveis, trompe-l'oeil, design de cortinas e a arte do estofo tradicional. À época, foi uma decisão chocante, quase insolente, para uma mulher como ela, nascida em berço de ouro.

 

Casada com Henry Wellcome, um rico empresário farmacêutico de Wisconsin, formavam um casal extravagantemente incompatível: ele, sádico, sem qualquer sentido de humor; ela, efervescente, encantadora e bonita. 

Conhece pela primeira vez Maugham num jantar em 1913 e fica completamente apaixonada por ele.

O escritor descrevia-se como "three quarters normal, one quarter queer". Na realidade, era mais o contrário. Maugham era sexualmente promíscuo e Syrie foi apenas um dos seus muitos casos amorosos.

 

Ela acabou por prendê-lo, engravidando da sua filha Liza, que nasceu em segredo, ainda ela era casada com Henry Wellcome

Só após Syrie ter engravidado de Maugham é que Henry Wellcome entra em processo de divórcio, responsabilizando o escritor pela destruição do casamento. 

Nessa altura, o escritor já tinha conhecido aquele que viria a ser o amor da sua vida: Gerald Haxton.

Por um lado, Maugham estava convencido de que deveria ser correcto e casar-se com Syrie, caso não o fizesse, temia que ela pudesse usar a sua homossexualidade para chantageá-lo.

 

Syrie e Maugham casam-se em 1917, vivendo um amor feito de tempestade.

Casado e respeitável, Maugham rapidamente começa a viver uma vida dupla: Syrie permanece em Londres, onde interpreta o papel de marido e pai, mas o seu coração estava na Europa com Gerald Haxton, com quem viajou pelo mundo, voltando sempre para os braços de Syrie sozinho e para uma vida familiar cada vez mais amarga e destrutiva.

 

Acabam por divorciar-se em 1929, e Maugham passa o resto da vida a difamá-la.

Ela nunca viria a casar novamente.